- PUBLICIDADE -

Vídeo inspeção identifica prédio despejando resíduo de tinta no Rio Marambaia

O caso será encaminhamento ao Ministério Público

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Como a cannabis medicinal tem ajudado famosos e não famosos

A Huniq, empresa de cannabis medicinal instalada em Itajaí, é responsável pelo tratamento das quatro histórias apresentadas nessa reportagem
maramabia
Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (24), uma equipe da EMASA que dá continuidade ao trabalho de vídeo inspeção na rede de drenagem pluvial na Bacia do Rio Marambaia, identificou um líquido branco sendo despejado no Rio. Ao percorrer a rede de drenagem para verificar de onde vinha, chegou a Rua Miguel Matte, 225, no Bairro Pioneiros. Constataram então, que um prédio em fase final de construção, havia lançado resíduo de tinta na drenagem pluvial (boca-de-lobo), que teve o destino final no Rio Marambaia.

De acordo com a Fiscal Sanitarista do Programa Se Liga Na Rede, Beatriz Nunes, neste caso não é possível ser lacrado, por não se tratar de uma tubulação, e sim, o despejo na drenagem pluvial usando a boca de lobo. “Destacando que essas ações de vídeo inspeção, complementam as fiscalizações do Programa Se Liga na Rede, sendo ações contínuas para a despoluição do Rio Marambaia”, disse Beatriz.

Por se tratar de um crime ambiental, foi acionado o departamento de Fiscalização Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, para as devidas medidas cabíveis. Segundo o diretor Edésio Cirilo Pereira, “será feito auto de infração e encaminhado para a Construtora responsável, visto que o prédio ainda não foi entregue e nem possui habite-se. O caso também será encaminhamento ao Ministério Público.”


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de Balneário Camboriú e região em seu e-mail.

⚠ Confirme na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Imobiliária de Balneário Camboriú aluga imóvel em até 30 dias ou paga o condomínio

A imobiliária promete alugar o imóvel em até 30 dias, ou pagar o condomínio ao proprietário
- PUBLICIDADE -