- PUBLICIDADE -

Cão terapeuta ajuda a amenizar a dor em velórios, em Balneário Camboriú

Cão Artur atua no Crematorium Vaticano auxiliando pessoas no processo do luto

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Maislaser vai presentear 100 pessoas com 10 sessões de depilação a laser em agosto

10 sessões de depilação a laser em uma área pequena! Não vai perder esse presentão, né?
cao terapeuta vaticano
Divulgação

Artur é um cão diferente dos outros. De porte médio e aproximadamente sete anos de idade, ele circula nas áreas comuns da Capela Vaticano de Balneário Camboriú e vem ajudando as pessoas no momento da despedida. A iniciativa, uma parceria do Crematorium Vaticano com a Secretaria da Pessoa Idosa de Balneário Camboriú, procura aliviar a dor da perda com afagos e carinho.

No uniforme do cão terapeuta, os bolsos carregam mensagens positivas que auxiliam no processo do luto. “Sabemos a ligação que as pessoas têm com cachorros e percebemos como a presença de um cão dócil muda o bem-estar delas em momentos tão difíceis como um velório”, explica Mylena Cooper, sócia do Crematorium Vaticano.

Artur já visita lares de idosos há seis meses com o objetivo de animar e levar mais vida aos moradores. “Ele é treinado para passar amor para as pessoas. Nos velórios ele sempre irá se aproximar muito de quem mais precisar, ele identifica quem gosta de cachorros e quem precisa de mais conforto e carinho”, fala a adestradora Vitória Ferreira. “Parece que ele sente o que as pessoas sentem e traz consolo para as famílias na hora da despedida”, completa ela.

A presença do cão terapeuta nos velórios realizados na capela do Crematorium Vaticano não tem custo adicional para as famílias


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de Balneário Camboriú e região em seu e-mail.

⚠ Confirme na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Como a cannabis medicinal tem ajudado famosos e não famosos

A Huniq, empresa de cannabis medicinal instalada em Itajaí, é responsável pelo tratamento das quatro histórias apresentadas nessa reportagem
- PUBLICIDADE -