Praia do Pinho: respeito à cultura do naturismo

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

De longe ela é um recanto paradisíaco como todas as outras oito praias de Balneário Camboriú. Mas de perto, a Praia do Pinho tem em suas características bem marcantes, como costões, águas límpidas, grama de verde intenso, areias de granulação média e a restinga totalmente preservada. O cenário é enriquecido pela limpeza, infraestrutura e principalmente pelo trabalho de uma organização não governamental (ONG), que cuida de uma importante nomenclatura recebida pelo local: a de primeira praia de naturismo oficial do Brasil e a quinta mais bela do gênero no mundo.

Segundo o dicionário mais democrático e famoso da internet, o Wikipédia, naturismo é um conjunto de princípios éticos e comportamentais que preconizam um modo de vida baseado no retorno à natureza como a melhor maneira de viver, defendendo a vida ao ar livre e a prática do nudismo, entre outras atitudes. E foi para amparar o naturismo na Praia do Pinho, que se consolidou turisticamente com este estilo de vida e de lazer, que foi criada em Balneário Camboriú a ONG Naturista Praia do Pinho. A entidade existe a cinco anos, mantendo um trabalho que já é feito no local desde 1983 por outros grupos e associações.

Segundo explica o presidente da ONG, Valdir Nei de Melo, a praia é um complexo turístico que envolve pousada, chalés, bares, quiosques, restaurante, cozinha, quadra de vôlei, playground, estacionamento e camping com capacidade para 200 barracas. “Chegamos a receber entre 150 e 200 mil visitantes durante o ano, mas é no verão que o complexo tem grande movimento de turistas”, afirma o presidente, informando ainda que a praia fica aberta o ano inteiro, com movimento maior de pessoas entre setembro e maio.

A Praia do Pinho tem 500 metros de extensão e figura como a mais importante entre as que oferecem o naturismo como estilo de lazer, a frente de praias como a de Pedras Altas (Palhoça, SC), Galheta (Florianópolis, SC), Abricó (Rio de Janeiro), Olho de Boi (Búzios, RJ), Barra Seca (Linhares, ES), Massarandupió (Salvador, BA) e Tambaba (PB). Melo afirma que a Praia do Pinho é a melhor pela infraestrutura, limpeza – auxiliada pela Secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú que faz a distribuição de sacolas de lixo, o ótimo acesso e segurança.

Na praia há pessoas de todas as idades, desde bebês até vovôs. O nudismo é encarado de forma natural por todas, sendo que na área do restaurante e estacionamento não é necessário ficar sem roupas. Já nas areias e águas há normas, e os que praticam o naturismo devem obedecer às regras: sem roupas, mas com muito respeito. Segundo o presidente da ONG, quando alguém não obedece o código de ética da praia é convidado a se retirar do local. “Nosso código é integrar o ser humano ao meio ambiente, principalmente, preservando a natureza”, conclui.

EVENTO NACIONAL
A cada dois anos, os naturistas participam de um congresso nacional que aborda temas relacionados à prática do naturismo. Neste ano, o evento denominado CONGRENAT acontece na Praia do Pinho, entre os dias 25 e 27 de fevereiro, em um espaço aberto com tendas e profissionais palestrantes. Todas as informações podem ser encontradas na internet, pelo endereço: www.praiadopinho.com.br.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -