Profissionais da construção civil recebem orientações sobre segurança e saúde no trabalho

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Laerte dos Santos tem 50 anos, desde os 15 trabalha na construção civil. Iniciou a carreira como pedreiro e há 10 anos se tornou mestre de obras. Hoje, com 35 anos de trabalho, coordena cerca de 50 profissionais em duas obras. Há cinco anos, Laerte sofreu um acidente durante uma jornada de trabalho. Um elevador da obra acabou despencando com ele dentro. Por sorte, ele não sofreu nenhuma lesão grave com a queda e conseguiu seguir com sua carreira.

Para prevenir acidentes como o de Laerte e discutir a questão da segurança e da saúde dos trabalhadores, o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Balneário Camboriú, Camboriú e Itapema – Siticom-BC e o Sindicato das Indústrias da Construção Civil de Balneário Camboriú e Camboriú – Sinduscon promoveram no sábado, dia 26, o 9º Encontro de Mestre de Obras e Encarregados. Mais de 100 profissionais, representando cerca de 4 mil trabalhadores, participaram do evento, que aconteceu na sede esportiva do Siticom-BC, em Camboriú. O encontro contou com a parceria do Sesi e do Ministério do Trabalho e Emprego.

Roberto Caponi Garcia é técnico do Ministério do Trabalho desde 1977 e sempre trabalhou na fiscalização de obras. Roberto dividiu toda sua experiência na área com os mestres de obras e falou sobre a importância destes profissionais na garantia da segurança no trabalho. “Eles são extremamente importantes, pois detém mais conhecimento que os outros trabalhadores. Buscamos a parceria com eles para serem nossos aliados na garantia da segurança no dia a dia das obras”, explica Roberto.

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, a região litorânea que vai de Itapema até Itajaí é hoje o maior canteiro de obras do estado de Santa Catarina. Neste contexto, o papel das entidades de classe é fundamental para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores. “Promovemos o encontro anualmente para deixar os mestres de obras atualizados sobre as mudanças na legislação, principalmente no que se refere à segurança”, explica Domingos Minella, presidente do Siticom-BC.

Para isso, os profissionais participaram de palestras sobre o tema. Além de conversarem com o técnico do Ministério do Trabalho, receberam informações com profissionais do Sesi e do Senai. Nos encontros, debateram questões como a manutenção das cordas utilizadas nas obras, como fazer nós seguros e como vestir corretamente os cintos de segurança para a construção civil. “Os mestres precisam receber esta capacitação porque suas ações têm reflexo direto no ambiente de trabalho. Eles são os mediadores entre nós e os trabalhadores”, explica Rafael Girardi, psicólogo e técnico em segurança do trabalho.

Laerte e seus colegas ouviram as orientações com atenção e puderam tirar todas as dúvidas sobre segurança na construção civil. “Esses momentos são muito importantes pois nosso trabalho exige cuidado com segurança o tempo todo. Já melhorou muito, mas temos que melhorar mais ainda”, afirma Laerte.

Serviços e confraternização

Além de receber orientações sobre segurança, os mestres de obras também puderam fazer avaliação da pressão arterial, fazer teste de visão e conhecer melhor a importância dos protetores auriculares para a qualidade da audição. Eles também puderam participar de atividades esportivas. Durante o encontro, mais de 60 brindes foram sorteados, entre bicicletas, batedeiras e microondas. Os prêmios foram doados pelo Sesi e pelo Sinduscon.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -