Paciente tem mão reimplantada no Hospital Marieta, em itajaí

Cirurgia levou mais de seis horas e reforça vocação do Marieta para algumas especialidades médicas e a atuação conjunta entre elas

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

A foto foi desfocada por se tratar de uma imagem forte (Divulgação)

A equipe multidisciplinar do Hospital Marieta realizou uma cirurgia inédita no litoral Norte de Santa Catarina. Após um incidente, o paciente de 49 anos teve a mão esquerda amputada e precisou de um reimplante. Este é o procedimento médico de maior complexidade em cirurgia de mão, realizado pela primeira vez na região pela coordenação do médico ortopedista e traumatologista Sullivan George Savaris.

Segundo a direção do Hospital Marieta, somente com o suporte multidisciplinar é que foi possível recuperar a parte do corpo do paciente. “Este trabalho conjunto é o grande aliado para o bem-estar dos pacientes da região. A atuação entre as várias especialidades reforça a preocupação do corpo clínico em se atualizar e buscar as novas técnicas para dentro do Marieta”, diz o diretor administrativo, Nivaldo Cunha.

A cirurgia de reimplante deu certo porque o paciente foi encaminhado logo após o incidente com a parte do corpo perdida. Foram mais de seis horas de procedimento no centro cirúrgico para o reimplante da mão esquerda. “A cirurgia consistiu, basicamente, em pegar um segmento amputado e, ainda nas primeiras horas após o ocorrido, reintegrar ao corpo”, explica o ortopedista Sullivan.

Outros profissionais participaram do procedimento, entre eles os médicos Eduardo Zeilmann (Cirurgia Vascular), Douglas Levier (Anestesiologia), Taiuã Vardasca Milan e Lucas Cargnin Henrique, da equipe de Ortopedia e Traumatologia. “O reimplante da mão é um procedimento altamente complexo, porém tivemos um bom desempenho de nossa equipe e isto reflete em um resultado médico espetacular”, avalia Sullivan. Nos próximos dois anos, o paciente realizará uma reabilitação fisioterápica prolongada, além de acompanhamento ambulatorial com ortopedista e cirurgião da mão.

Agredido pelo ex-patrão

Carlos Alberto Westphal teve a mão cortada com uma espada de fabricação artesanal durante uma briga com o ex-patrão, Juliano Pinheiro da Silva. O crime aconteceu no bairro Itaipava, em Itajaí, no dia 2 de junho. A vítima, que é surda e muda, e usa as mãos para se comunicar através da linguagem de sinais, tinha ido com o atual patrão ao local buscar móveis usados em uma festa, quando apareceu Juliano. O ex-patrão desferiu um golpe em Carlos, que se protegeu com o braço e terminou com a mão decepada. O desentendimento entre ex-patrão e ex-funcionário já durava cinco anos. A polícia Civil ainda investiga o caso.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -