Defesa Civil divulga balanço dos atendimentos do mês de maio

No mês de maio, o órgão registrou 23 ocorrências, dentre elas estão colapso de edificações, queda de árvores, riscos em via pública

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Divulgação

Ao contrário do que muita gente pensa, a Defesa Civil não atua somente durante ocorrências climáticas. Durante todo o ano, além de trabalhar com a prevenção, por meio de orientações, capacitações e simulados, os agentes de Defesa Civil também auxiliam nas ações de combate ao Aedes aegypti e no atendimento de diversas ocorrências.

No mês de maio, o órgão registrou 23 ocorrências, dentre elas estão colapso de edificações, queda de árvores, riscos em via pública, movimentos de massa e uma ocorrência devido à ressaca das marés. Além disso, atuou em parceria com as secretarias municipais no monitoramento do abastecimento e garantia de manutenção dos serviços essenciais durante a paralisação dos caminhoneiros. Desde o primeiro dia, foi montado o Gabinete de Crise, que conseguiu gerenciar precaver as possíveis situações através do gabinete de crises, com contingências na saúde, educação e combustíveis para os veículos necessários.

“Em geral, o mês foi bem movimentado, com destaque para paralisação, um evento novo e muito parecido com uma crise ou desastre pela falta de alimentos e remédios. Tivemos que lidar com situações diferentes em conjunto com a Defesa Civil Estadual, que articulou com os caminhoneiros e manteve a organização para que não faltassem itens necessários. Santa Catarina foi elogiada a nível nacional como a que melhor soube responder à paralisação”, disse o diretor da Defesa Civil, Fabrício Melo. De acordo com ele, o sucesso das operações durante a paralisação se deve grande parte se deve ao trabalho do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD), inaugurado em abril em Itajaí, e em maio em Florianópolis, uma semana antes da paralisação.

A Defesa Civil também auxiliou nas ações de combate ao Aedes aegypti. Em maio foram localizados 137 focos de dengue, feitas duas interdições e três notificações e dois casos de dengue autóctone foram registrados. Neste ano, já foram 810 focos de Aedes aegypti localizados em Balneário Camboriú.

Durante o mesmo período, houve várias ações importantes como o lançamento do programa “Proteção e Defesa Civil na Escola”, parceria com a Secretaria de Educação e o Instituto Fed eral Catarinense (IFC); e acompanhamento do Simulado Integrado de Resposta a Desastres, organizado pelo Exército Brasileiro.

Em maio, o Rio Camboriú registrou níveis de água próximo aos níveis de emergência, com mínima de 0,91 cm e máxima de 1,08 metro. A metragem de emergência inicia em 0,81 cm. Apesar dos baixos níveis do Rio Camboriú, a precipitação pluviométrica totalizou 110,13 mm, em comparação à média história de 105 mm, demonstrou aumento de 4,88%. ‘’Foi um mês com várias ocorrências atípicas, que trouxe bons resultados e demonstrou a eficiência do nosso serviço’’, conclui Fabrício.

A ação vai contribuir para a melhoria da balneabilidade das praias e rios da cidade!

Posted by Click Camboriú on Thursday, June 14, 2018

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -