- PUBLICIDADE -

Hospital Ruth Cardoso toma medidas emergenciais e normaliza atendimento de cirurgias

Ministério Público vai notificar as empresas que se negaram a vender material cirúrgico pelo preço da tabela SUS

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Desenvolva as suas habilidades e competências de Liderança

Programas de MBA e Masters da Tear Escola de Negócios englobam participantes com ou sem graduação e é semipresencial com duração de 12 meses

centro cirurgico
Centro cirúrgico do Hospital Municipal Ruth Cardoso

O Hospital Municipal Ruth Cardoso normalizou nesta segunda-feira (13) o atendimento de cirurgias ortopédicas, que havia sido interrompido no último dia 3, após faltar material cirúrgico. A falta de material se deu por conta de um processo licitatório fracassado, onde nenhuma empresa mostrou interesse em vendê-lo.

Desde o início do ano alguns processos licitatórios abertos pela antiga administração apresentaram falhas, sem empresas interessadas em participar. Elas teriam se negado a vender material cirúrgico pelo preço da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), que é o preço orientado pelo Ministério da Saúde.

A direção do hospital, já prevendo que faltaria material cirúrgico para ortopedia, abriu processo licitatório emergencial para a compra e, por prudência, no último dia 3 enviou um documento para todas as unidades de saúde para que não direcionassem pacientes com necessidades de cirurgia ortopédica. A medida cautelar foi tomada para não colocar em risco a vida de pacientes que chegassem ao hospital precisando urgentemente de cirurgia.

A situação foi regularizada após uma das empresas concordar em fazer a venda dos materiais faltantes pelo preço da tabela SUS até que o processo licitatório seja concluído. A empresa já levou os materiais que estavam faltando e o atendimento segue normalizado.

Durante o período em que o hospital fechou as portas, apenas três cirurgias acabaram sofrendo atraso. Uma foi transferida para outro hospital e as outras duas foram realizadas ainda na semana passada.

O Ministério Público vai notificar as empresas que se negaram a fazer a venda do material cirúrgico pelo preço da tabela SUS. Apesar do grande problema, a situação foi contornada sem grandes prejuízos.

O Diretor do Hospital Ruth Cardoso, Rodrigo Massaroli, explica o fracasso licitatório, as medidas emergenciais e a comunicação ao Ministério Público no vídeo abaixo:


COMENTE ABAIXO ⬇

Receba as notícias do Click Camboriú pelo Telegram

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Dia das Mães: Maislaser vai presentear 100 pessoas com 10 sessões de depilação a laser

Ganham as 100 primeiras pessoas que ligarem para (47) 3011-0611 ou 3011-0211, ou entrarem em contato pelo WhatsApp 047 99273-2191
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.