Definida empresa que vai construir e explorar o Complexo Náutico e Ambiental de Itajaí

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

O Consórcio KL Viseu, formado pelas empresas Karlos Gabriel Lemos ME. e Construtora Viseu Ltda. foi habilitado pela Comissão Especial de Licitação para a construção e exploração do Complexo Náutico e Ambiental de Itajaí, a Marina do Saco da Fazenda, na Baía Afonso Wippel. Pela proposta técnico-financeira apresentada na Sessão Publica de recebimento e abertura das propostas do processo licitatório de número 036/2012, o consórcio se compromete a fazer um investimento de R$ 38,5 milhões.

A licitação segue a modalidade de Concorrência Pública, do tipo “maior oferta”. A área disponível para o Complexo Náutico Ambiental é de 10,33 mil metros quadrados em terra e 120,9 mil metros quadrados de espelho d’água, além de mais 12,39 mil metros quadrados para aterro hidráulico.

A oferta apresentada supera em aproximadamente R$ 9,5 milhões o investimento inicial previsto, de R$ 26 milhões, e o projeto prevê um total de 854 vagas para embarcações, sendo 126 secas e 731 vagas molhadas. O prazo de concessão é de 25 anos, prorrogáveis por igual período. “Além das áreas para as embarcações, a marina vai contar com áreas de lazer, centro comercial e prédio administrativo”, acrescenta o presidente da comissão e diretor Administrativo e Financeiro do Porto de Itajaí, Alexandre Antonio dos Santos.

“Não pretendemos construir uma marina nos moldes tradicionais, mas sim um porto esportivo, no qual a comunidade possa ter acesso e usufruir de áreas comuns”, diz Karlos Gabriel Lemos, representante do Consórcio. Segundo o executivo, o objetivo é, além de uma área para as embarcações, é criar mais uma opção de lazer em Itajaí, levando, inclusive, eventos diversificados para dentro do complexo náutico.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -