• O portal de notícias de Balneário Camboriú

Após suspensão de sessão tumultuada na Câmara de BC, três vereadores registram boletins de ocorrência

Sessão na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú é suspensa após conflitos e resulta em denúncias mútuas

A sessão da Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú desta terça-feira, 11 de junho, terminou de forma tumultuada, resultando em várias denúncias registradas na delegacia. O presidente da Câmara, vereador David LaBarrica (PRD), suspendeu a reunião às 20h24, após interrupções repetidas por parte do público que enchia o plenário para acompanhar a votação do Projeto de Lei Ordinária 65/2024, do Poder Executivo, que trata de mudanças no Plano Diretor da cidade. A sessão será retomada na quarta-feira, 12 de junho, às 16h.

Interrupções e Suspensão da Sessão

Inicialmente, a sessão foi suspensa duas vezes devido a manifestações do público. A primeira interrupção ocorreu durante a fala do vereador Marcelo Achutti (MDB) e durou cerca de 25 minutos. A segunda interrupção aconteceu durante a fala do vereador Gelson Rodrigues (Cidadania) e durou 10 minutos. A terceira e definitiva suspensão ocorreu durante a fala da vereadora Juliana Pavan (PSD).

- CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE -

Manifestação da Vereadora Juliana Pavan

Juliana Pavan estava fazendo uso da palavra quando, ao chamar o vereador Gelson Rodrigues de mentiroso e o público presente ficar alvoroçado, o presidente da Câmara interrompeu a sessão, cortando seu microfone e anunciando o encerramento dos trabalhos. A vereadora, única mulher na atual legislatura, foi impedida de concluir sua fala, o que gerou uma onda de protestos do público presente, que começou a chamar David LaBarrica de “covarde” enquanto ele deixava o plenário.

Juliana Pavan, que é pré-candidata a prefeita, foi à Delegacia da Mulher logo após a sessão para registrar um boletim de ocorrência contra LaBarrica, acusando-o de agressão moral, violência contra a mulher e coação de suas atividades parlamentares. Ela também solicitou uma medida protetiva.

Acusações Mútuas e Outras Denúncias

O presidente da Câmara, David LaBarrica, também se dirigiu à delegacia para registrar uma denúncia contra Juliana Pavan por injúria. Segundo LaBarrica, as repetidas manifestações do público inviabilizaram a continuidade da sessão, e ele agiu em conformidade com o Regimento Interno da Câmara para garantir a integridade de todos os presentes.

Outro episódio de tensão envolveu o vereador Nilson Probst (MDB) e o secretário de segurança Gabriel Castanheira. Probst registrou um boletim de ocorrência acusando Castanheira de ameaça. Segundo o relato de Probst, Castanheira teria gesticulado de maneira ameaçadora e insinuado que o vereador deveria chamar “seus guardas amiguinhos” para resolver a situação no plenário. O vereador não registrou no boletim qual foi a ameaça que teria recebido.

Declaração Oficial de David LaBarrica

Em resposta às críticas, David LaBarrica emitiu uma nota justificando sua decisão de suspender a sessão. Ele destacou que as interrupções constantes impossibilitaram a continuidade dos trabalhos e que sua ação visou garantir a ordem e a segurança de todos os presentes. “Reafirmo o compromisso desta Casa Legislativa com a democracia e o diálogo, garantindo a participação popular de forma ordeira e respeitosa”, afirmou LaBarrica.

Mais discussão

Os acontecimentos na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú tiveram grande repercussão na comunidade e na mídia local. A suspensão da sessão e as subsequentes denúncias expõem as tensões e divisões na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú. A expectativa é de que a retomada da sessão nesta quarta-feira, 12 de junho, seja marcada por intensos debates e possivelmente novas manifestações.

Click CamboriúPolíticaApós suspensão de sessão tumultuada na Câmara de BC, três vereadores registram...
PUBLICIDADE

Últimas notícias