- PUBLICIDADE -

Agente embolsa dinheiro e frustra virada de 50 turistas em BC

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

UniAvan oferta atendimento psicológico a profissionais da ONG Viva Bicho

A ação é realizada pelos acadêmicos dos anos finais do curso de Psicologia e visa o bem-estar das pessoas que trabalham diariamente com os animais

Um grupo de 50 pessoas, a maioria de Mirassol, interior de São Paulo, foi vítima de estelionato. Elas pagaram uma excursão para o réveillon, em Balneário de Camboriú, mas não viajaram, porque na hora prevista para a saída, nem o ônibus nem o responsável pela viagem apareceram.

Depois de esperar por mais de cinco horas para o embarque, previsto para a segunda-feira, os turistas desistiram de procurar o agente e de esperar o ônibus que os levaria a Camboriú. Eles registraram boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia, que investiga o caso como estelionato. O agente Rubens da Silva Júnior desapareceu da cidade.

O auxiliar de conferente Thiago Ortiz dos Santos, 21 anos, que é primo do autor do golpe, disse que desde março pagava R$ 88 por mês pela viagem que incluía transporte, hospedagem, café da manhã e alguns passeios. “Tudo parecia normal. Ele sempre organizava viagens com o pai dele, mas desta vez estava sozinho. Todos o conheciam e ficamos surpresos com o que aconteceu”, disse Thiago.

A vendedora Vanda Andrade também foi uma das vítimas. “A gente planeja, economiza e, na hora de embarcar, acontece isso. É uma revolta e tanto.” A família do pintor Jair Rodrigues Alves usou o 13º salário para pagar o pacote e despesas que teria na viagem. Algumas famílias com filhos tiveram prejuízo de mais de R$ 4 mil com o pagamento do pacote. “A gente paga para ter um sonho e daí chega alguém, embolsa o dinheiro e some”, disse, revoltada, a embaladora Selma Pacola Alves.

Na delegacia, segundo Thiago, o grupo percebeu detalhes que indicavam o golpe. “Fomos conferir os contratos e vimos que em alguns deles o endereço do Rubens era diferente”, contou Thiago.

Leandro Henrique Dercilene, dono da empresa que alugou o ônibus que faria a viagem, disse que Rubens também não o procurou para o pagar pela locação, e que vai entrar na Justiça para tentar receber pelo menos metade do valor. “Fizemos um contrato de R$ 8,5 mil em fevereiro”, afirmou.

O delegado Júlio Cézar Bueno Valle disse que Rubens está sendo procurado e vai responder pelo crime de estelionato.

Do grupo dos 50 turistas, 11 deles acabaram indo para a praia depois de alugar uma van e conseguir uma casa na cidade de Caraguatatuba, cedida por um amigo.


COMENTE ABAIXO ⬇

Receba as notícias do Click Camboriú pelo Telegram

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Clínica de odontologia da UniAvan oferece atendimento para cirurgias dentárias

Os procedimentos gratuitos serão direcionados a cirurgias de extração de dentes, remoção de freio, raiz quebrada, tratamento de lesões na boca, dentre outros
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.