Cardiologia: mutirão segue até setembro para zerar fila de espera de idosos

Além de diminuir o tempo de espera, o mutirão é essencial para o ajuste medicamentoso, rever os exames solicitados e avaliar sintomas

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Idosos que aguardavam na fila de espera por cardiologista estão sendo chamados para atendimentos, desde o mês de julho. A iniciativa é uma parceria entre as secretarias de Saúde e Pessoa Idosa, com o objetivo de zerar a quantidade de pacientes que esperam por consultas desde 2017.

Além de diminuir o tempo de espera, o mutirão é essencial para o ajuste medicamentoso, rever os exames solicitados e avaliar sintomas. “Quanto melhor o paciente for tratado no consultório, menos ele vai precisar procurar a emergência, os fatores de risco ficam bem controlados”, afirma a cardiologista, Mariana Kleis Feltrin.

O atendimento está ocorrendo no Núcleo de Atenção ao Idoso (NAI), seguindo a ordem da fila de espera, idosos com mais de 80 anos têm prioridade e logo em seguida, aqueles a partir de 60. São realizadas 20 consultas por dia, além de 30 consultas nas quartas e quintas-feiras, o que totaliza 160 consultas por semana. No total, são dois cardiologistas credenciados e um contratado atendendo no NAI e mais duas médicas na clínica Felizmed.

A paciente Elizabet Lorenzon esperou na fila, mas foi atendida com a ajuda do mutirão, “tem muita gente esperando e esse mutirão é importante porque ajuda na realização das consultas e os exames, o processo fica mais rápido”, declara.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -