- PUBLICIDADE -

Praia de Laranjeiras recebe a visita de pinguim

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

UniAvan oferta atendimento psicológico a profissionais da ONG Viva Bicho

A ação é realizada pelos acadêmicos dos anos finais do curso de Psicologia e visa o bem-estar das pessoas que trabalham diariamente com os animais

Foto: Maycon Hardt Delfino
Foto: Maycon Hardt Delfino

Na manhã desta segunda-feira (8), a Secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú (Semam) resgatou um pinguim. O animal foi encontrado na Praia de Laranjeiras no último domingo (7) por um morador que levou para sua casa e tomou os devidos cuidados. O animal foi carinhosamente batizado de Theo.

De acordo com a secretária do Meio Ambiente, Osnilda Nena Amorim, o pinguim não apresentava machucados ou hematomas. “Analisamos as condições vitais do animal e constatamos que o pinguim estava em perfeito estado de saúde. Também não apresentava machucados ou hematomas. Após a análise, levamos o pinguim para alto-mar e o soltamos”, explica Nena.

O aparecimento de pinguins na orla das praias é algo recorrente. De acordo com a oceanógrafa do Semam, Patricia Zimmermann, os pinguins chegam na praia normalmente no inverno. “Em consequência das correntes marítimas, normalmente esses animais se perdem dos bandos e vêm até a orla para descansar. A presença de pinguins na orla das nossas praias é algo comum e frequente”, explica Patrícia.

 

Animais mortos

Tartaruga foi encontrada morta sem cabeça na Praia Central, altura da rua 3100. Foto: Luiz Camargo.
Tartaruga foi encontrada morta sem cabeça na Praia Central, altura da rua 3100. Foto: Luiz Camargo.

Na última semana o Semam encontrou um pinguim, cinco tartarugas e um albatroz em Balneário Camboriú. Todos estavam bem machucados e se encontravam em estado de decomposição. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) foi chamado para fazer a medição dos animais, em seguida, por se encontrarem em estágio avançado de decomposição foram levados para o aterro sanitário.

De acordo com a oceanógrafa Patricia Zimmermann, os animais podem ter morrido porque foram pegos em um espinhel, técnica de pesca industrial muito utilizada para pegar tubarões e atuns. A pesca com espinhel consiste em um longo fio de nylon, cheio de anzóis e iscas, que atraem até o albatroz. “As iscas atraem esses animais, que por consequência comem e são capturados” enfatiza Patricia. Ainda de acordo com ela, esses animais são devolvidos ao mar pelos pescadores, mesmo mortos, e com a corrente marítima chegam até a praia.


COMENTE ABAIXO ⬇

Receba as notícias do Click Camboriú pelo Telegram

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Clínica de odontologia da UniAvan oferece atendimento para cirurgias dentárias

Os procedimentos gratuitos serão direcionados a cirurgias de extração de dentes, remoção de freio, raiz quebrada, tratamento de lesões na boca, dentre outros
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.