- PUBLICIDADE -

Escola de Camboriú está sem condições de receber os alunos na volta às aulas

Vereadora Jane Stefenn (REDE) cobrou da Prefeitura de Camboriú melhorias imediatas no ginásio da Escola Marlene Pereira Zuchi

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Maislaser vai presentear 100 pessoas com 10 sessões de depilação a laser em agosto

10 sessões de depilação a laser em uma área pequena! Não vai perder esse presentão, né?
Escola Marlene Pereira Zuchi
Divulgação

A vereadora Jane Stefenn (REDE) cobrou nesta tarde de terça-feira (23), da Prefeitura de Camboriú melhorias imediatas no ginásio da Escola Marlene Pereira Zuchi, no Jardim Paraíso, antes que os alunos voltem para as aulas em 15 de fevereiro.

Em visita à escola, a vereadora comprovou a falta de manutenção e abandono com os banheiros do ginásio destruídos e com sujeira acumulada, quadra quebrada, traves enferrujadas, cobertura furada, além de água parada no pátio, mato tomando conta da horta abandonada e brinquedos do parquinho precisando de reparos.

“Estamos há menos de um mês para a volta às aulas e a situação do Marlene é de completo abandono. Um ginásio depredado que não dá para ser usado pelas crianças, assim como o pátio com o mato tomando conta e água parada. Não há qualquer tipo de manutenção no local e pais e mães me procuram preocupados com a segurança dos filhos. Eles têm razão e motivo para se preocuparem”, disse Jane.

Como a escola está fechada, Jane não conseguiu apurar outras denúncias sobre as condições do interior da escola. Depois de fotografar o local, a vereadora falou com o prefeito Elcio Kuhnen que visitou a escola e prometeu uma solução para os problemas.


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de Balneário Camboriú e região em seu e-mail.

⚠ Confirme na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Como a cannabis medicinal tem ajudado famosos e não famosos

A Huniq, empresa de cannabis medicinal instalada em Itajaí, é responsável pelo tratamento das quatro histórias apresentadas nessa reportagem
- PUBLICIDADE -