Itajaí / SC – O custo da cesta básica na cidade de Itajaí subiu pela quarta vez consecutiva, segundo índices calculados pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali), referente ao mês de fevereiro. A cesta básica passou de R$ 282,09, em janeiro, para R$ 297,10, em fevereiro, registrando alta de 5,32%.

Segundo o relatório, a carne é o produto com maior peso sobre o custo da cesta básica (38,15%), em seguida vem o pão (14,06%) e o tomate (10,18%). As principais altas, no entanto, foram registradas no preço do leite tipo C (16,23%), do tomate (15,63%), do arroz (12,43%), da carne (10,80%), do óleo de soja (7,78%), do café em pó (6,88%), do pão francês (6,45%), da banana branca (5,56%), do açúcar (5,51%) e da manteiga (4,32%).

De acordo com Jairo Romeu Ferracioli, professor coordenador da pesquisa da cesta básica em Itajaí, mesmo com a alta na maioria dos alimentos, houve queda nos preços do feijão (22,48%), da batata (15,48%) e da farinha de trigo (9,98)%.

Em um ano, gastos com alimentação aumentaram

Na comparação de dados de fevereiro deste ano com o mês de fevereiro de 2014, as despesas com alimentação acumularam alta de 8,03%. Há um ano cesta básica custava R$ 274,64.

“Em fevereiro houve uma piora no poder de compra do trabalhador assalariado, o custo da cesta básica sobre o salário mínimo passou de 35,80% em janeiro para 37,70% em fevereiro. Em termos de horas de trabalho, para aquisição da cesta, passou de 78 horas e 43 minutos para 82 horas e 54 minutos”, detalha Ferracioli.

Segundo o professor, tomando como base a Lei nº 399 de 1938, que criou a cesta básica, o custo dela não deveria exceder 33,63% do salário vigente, neste caso, o salário mínimo de um trabalhador deveria ser de R$ 891,29 e de uma família padrão (dois adultos e duas crianças) deveria ser de R$ 2.650,30.


COMENTE ABAIXO ⬇