- PUBLICIDADE -

Estudo de consultoria internacional apresenta resultados econômicos da VOR para a Costa Verde & Mar

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

UniAvan oferta atendimento psicológico a profissionais da ONG Viva Bicho

A ação é realizada pelos acadêmicos dos anos finais do curso de Psicologia e visa o bem-estar das pessoas que trabalham diariamente com os animais

A largada no dia 11 de outubro já coloca Santa Catarina na contagem regressiva para mais uma edição da Volvo Ocean Race. O Estado está na lista das 11 paradas da corrida mundial dos mares. Na Costa Verde & Mar, Itajaí será o porto de parada dos aventureiros. A Vila da Regata será aberta em 4 de abril de 2015, permanecendo com atrações e aguardando a chegada dos barcos até o dia 19 do mesmo mês. Serão 15 dias de atividades e de uma população orgulhosa em receber tão importante evento internacional. Na primeira edição em que Itajaí foi sede, entre 2011/2012, 250 mil pessoas visitaram o espaço e deram as boas-vindas aos atletas.

Além do clima de festa e de superação, afinal são dias e mais dias a bordo de barcos cruzando os mares, a Volvo Ocean Race também reflete na economia da Costa Verde & Mar. Dados da consultoria Price Waterhouse Coopers (PwC), apresentam sucesso em dois importantes aspectos: o impacto gerado pelos investimentos dos envolvidos com o evento (organização, equipes, patrocinadores, etc) e o impacto gerado por gastos privados, individuais, realizados por pessoas que visitaram a cidade e o evento.

O estudo aponta que a primeira edição atraiu um grande número de visitantes de fora do Estado e do País, com permanência média dos visitantes 3,4 noites para brasileiros e 7,2 para estrangeiros. “O gasto direto estimado destes visitantes foi de R$ 8,58 milhões no Estado, com a contrapartida da organização e equipes na casa dos R$ 7,65 milhões”, revela o diretor da Secretaria de Turismo de Itajaí, Darlan Haussen Martins Júnior. “Considerando todos os gastos, temos um impacto direto e indireto total de R$ 43,75 milhões na economia catarinense”, reforça.

Martins Júnior comenta que um exemplo claro do reflexo positivo está na ocupação hoteleira e no gasto com transporte local, como serviços de viagem e turismo. Isso gera ISS ao município. Se levarmos em conta a taxa ocupação de abril de 2012, que chegou a 74% das 1.066 unidades habitacionais, com média diária é de R$ 93, foram arrecadados R$ 44 mil de imposto somente com essa movimentação. “Fora da temporada ou deste período de eventos, a taxa média de ocupação é de 42%, o que gera o equivalente a R$ 25 mil mensais de ISS”, considera.

 

Principais resultados do Estudo PwC

– O evento atraiu um grande número de visitantes de fora do Estado e do País;
– A permanência média dos visitantes foi de 3,4 noites para brasileiros e 7,2 para estrangeiros;
– O gasto direto estimado destes visitantes foi de R$ 8,58 milhões no Estado;
– O gasto direto dos envolvidos com o evento foi de R$ 7,65 milhões;
– Considerando todos os investimentos foram R$ 43,75 milhões injetados na economia catarinense.

 

Dados da ocupação hoteleira

Taxa de ocupação hoteleira – Abr/2012: 74,28%
Total de unidades: 1.066
Diária média: R$ 93
Receita gerada: R$ 2.209.191,19
ISS de 2% da rede hoteleira devido ao município em abril/2012: R$ 44.183,82
Fora da temporada, o ISS da rede hoteleira é de R$ 25.024,41.


COMENTE ABAIXO ⬇

Receba as notícias do Click Camboriú pelo Telegram

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Clínica de odontologia da UniAvan oferece atendimento para cirurgias dentárias

Os procedimentos gratuitos serão direcionados a cirurgias de extração de dentes, remoção de freio, raiz quebrada, tratamento de lesões na boca, dentre outros
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.