- PUBLICIDADE -

Mais um prédio antigo é parcialmente demolido em Itajaí

A reforma, que começou sem autorização da secretaria de urbanismo, foi embargada

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Maislaser vai presentear 100 pessoas com 10 sessões de depilação a laser em agosto

10 sessões de depilação a laser em uma área pequena! Não vai perder esse presentão, né?
(Adelaine Zandonai / Divulgação)
(Adelaine Zandonai / Divulgação)

Aos poucos a história de Itajaí vai sendo destruída. Na última semana mais um prédio histórico foi parcialmente demolido. Agora no número 194 da rua Lauro Muller, no Centro, resta apenas a fachada de uma das construções mais antigas da cidade.

A reforma, que começou sem autorização da secretaria de urbanismo, foi embargada. Ironicamente, o prédio foi parcialmente destruído um mês depois que o Conselho de Patrimônio Histórico de Itajaí havia se comprometido a iniciar o processo de tombamento da construção.

No início de junho a Vereadora Anna Carolina Martins (PRB) solicitou oficialmente ao prefeito, ao Conselho de Patrimônio Histórico e Cultural, à Fundação Cultural e à Fundação Genésio Miranda Lins (FGML) o tombamento do prédio da rua Lauro Muller.

Um mês depois, o Superintendente da FGML, que também preside o Conselho de Patrimônio Histórico, Antonio Carlos Floriano, respondeu à indicação informando que daria início ao processo de tombamento do imóvel. O documento explica ainda que seriam realizados os devidos estudos técnicos para verificar a relevância do prédio.

Passados 15 dias do recebimento da resposta oficial da FGML, o prédio sofreu intervenção. O interior da construção foi completamente destruído, do chão ao teto. De acordo com informações da secretaria de urbanismo, não foi solicitado nenhum tipo de autorização para a obra e, por isso, os trabalhos foram embargados na semana passada. Procurado pela vereadora, o presidente do Conselho de Patrimônio também desconhecia a demolição parcial de uma das construções mais antigas da cidade.

Preservação histórica é um dos focos do trabalho da vereadora

Anna foi quem entrou na justiça para garantir a revitalização do prédio da antiga alfândega portuária. A construção da década de 30, que é tombada pelo patrimônio histórico do município e do Estado, corria o risco de ser demolida pela atual administração de Itajaí. Sensibilizada pela mobilização de historiadores locais, Anna ingressou na justiça e garantiu que o prédio fosse restaurado.

A vereadora também ingressou com uma ação popular pedindo a retirada do camelô da praça Arno Bauer, no Centro de Itajaí. O local fica no meio de três construções centenárias de Itajaí: o Colégio Victor Meirelles, o Palácio Marcos Konder e a Casa de Cultura Dide Brandão. Por determinação do Ministério Público, no mês passado os camelôs tiveram que deixar o local. Depois de mais de três décadas, a população tem novamente acesso à praça.


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de Balneário Camboriú e região em seu e-mail.

⚠ Confirme na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Como a cannabis medicinal tem ajudado famosos e não famosos

A Huniq, empresa de cannabis medicinal instalada em Itajaí, é responsável pelo tratamento das quatro histórias apresentadas nessa reportagem
- PUBLICIDADE -