Sechobar fecha 1° Acordo Coletivo e pisos podem chegar até R$ 1500

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

As negociações entre o Sechobar e o Sindisol começaram em setembro e cinco rodadas depois nada está resolvido. A data-base da categoria é 1° de outubro. Mas parece que surge uma luz no fim do túnel. Um Acordo Coletivo de Trabalho foi firmado com o maior resort de Balneário Camboriú. O reajuste foi de 10% e estabelecidos 4 pisos, são eles:

1º piso – da data da admissão até o período de 90 dias: R$ 1.143,00

2º piso – após o período de 90 dias: 1.222,00

3º piso – para garçons: R$1.308,00 (após 90 dias).

4º piso – para recepcionistas: R$ 1500,00 (após 90 dias)

E entre os benefícios conquistados estão a participação dos trabalhadores nos lucros e resultados da empresa, feriado no dia 11 de agosto (dia da categoria) e plano de saúde.

A luta continua em busca da Convenção Coletiva de Trabalho. Em Balneário Camboriú a reunião que deveria ter acontecido na última semana foi desmarcada pelo Patronal em cima da hora e não foi remarcada até o momento. O sindicato dos trabalhadores se mobiliza para um reajuste salarial de 12%; criar o piso inteligente no valor de 1500,00 para trabalhadores que preencherem alguns pré-requisitos; seguro de vida para entregadores, licença maternidade de 180 dias, redução da jornada para 40 horas semanais sem reduzir o salário, entre outras reivindicações.

Também em Itajaí, onde não há Convenção há 6 anos, em Joinville que abrange Barra Velha e Piçarras, os trabalhadores aguardam ansiosos pelo acordo.Mas os sindicatos patronais têm dificultado as negociações.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -