Isenção de tarifa dos prédios públicos gera polêmica em BC

O que seria alívio para as contas do poder público, se tornaria aumento de custo para os munícipes; entenda

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Balneário Shopping presenteia clientes do estacionamento com mimos especiais

Até o final de setembro, o “Blue Card – Visita Premiada” surpreenderá 1001 clientes com mimos e atrações especiais

Um projeto de lei de autoria do Vereador Joceli Nazari (Cidadania – antigo PPS) que está tramitando na Câmara de Vereadores, sugerindo que os prédios públicos não paguem tarifa de água da Emasa, está causando polêmica em Balneário Camboriú.

O vereador alega que, por se tratar de empresa criada pelo município para administrar e explorar os serviços públicos de abastecimento de água potável e tratamento de esgoto, não há sentido cobrar o consumo dos imóveis do próprio ente público, sejam eles próprios ou alugados.

Porém, o que seria alívio para as contas do poder público, se tornaria aumento de custo para os munícipes. Pois, se forem isentos os prédios públicos — que são grandes consumidores de água —, o rateio para a composição da tarifa será feito entre menos consumidores, aumentando assim o valor dos demais, ou seja, da população em geral.

Imagine então se a tarifa de energia ou a de lixo seguisse o mesmo caminho, sendo o poder público grande consumidor de energia e gerador de lixo?

Você é favorável ao projeto que o vereador propôs, que pode acabar aumentando a tarifa de água dos consumidores? Opine.


COMENTE ABAIXO ⬇

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Confira o novo combo promocional da Personal Chef Fit Kris Borba

A Chef Kris traz nesse mês de setembro um combo Detox, super prático, econômico e muito saboroso
- Publicidade -