Conheça o “Homem-Aranha de Balneário Camboriú”

Thyago Souza, 28 anos, encarna o super-herói para trazer alegria às crianças da cidade

⚠ As matérias assinadas e publicadas pelos colunistas são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do Click Camboriú.

Publicado em

Colunista

Lucas Machado é jovem e residente de Balneário Camboriú. Gosta de falar sobre entretenimento, comportamento, política e cultura pop. O único problema é que ele é jornalista.

⚠ As matérias assinadas e publicadas pelos colunistas são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do Click Camboriú.

- Publicidade -

Talvez você não faça parte dos milhões de brasileiros que saíram de casa para assistir o novo filme da franquia de heróis da Marvel, “Vingadores: Ultimato”. Mas com certeza você já deve ter ouvido falar alguma vez de um dos personagens mais icônicos do mundo dos quadrinhos: o Homem-Aranha.

Criado pelos norte-americanos Stan Lee e Steven Ditko em 1962 para a revista “Amazing Fantasy”, o super-herói que possui poderes de um aracnídeo ganhou popularidade por conversar justamente com os leitores de HQs: à noite, ele combatia o crime e as forças do mal que assolavam uma Nova York tomada pela violência e a bandidagem. Entretanto, quando chegava o dia, o herói era apenas Peter Parker – um estudante meio nerd, meio desajustado do ensino médio, que precisava lidar com os problemas do cotidiano, paixões platônicas e as armadilhas da juventude.

A premissa “gente como a gente” tornou o Homem-Aranha não só um personagem querido pelo público, como também um ícone da cultura pop mundial. Ao longo de décadas, estrelou séries animadas na TV, fez bonito nas telas de cinema, encantou adultos que voltaram a ser criança e crianças que jamais viveram a era analógica e se apaixonam pela primeira vez pelo justiceiro que se pendura nos prédios de NY com suas teias – tudo isso décadas após sua concepção.

Tamanha é a paixão dos fãs de heróis pelos personagens que alguns deles dedicam parte de sua vida a enaltecer as figuras como verdadeiros deuses da pós-modernidade.  Alguns deles gastam uma quantia expressiva de dinheiro com itens de colecionáveis, como bonecos, roupas, acessórios, DVDs, jogos e tudo o que você pode imaginar – o que deixa a indústria americana milionária – e outros preferem investir sua paixão em ações mais excêntricas ou que possam fazer a diferença. Esse é o caso de Thyago Souza, 28 anos, conhecido como o “Homem-Aranha de Balneário Camboriú.

O ARACNÍDEO DO LITORAL DE SANTA CATARINA

Atualmente com 28 anos de idade, o psicólogo formado pelo Centro Universitário Anhanguera divide sua vida entre escrever textos e atender pacientes com o hobbie de encarnar um dos super-heróis mais queridos do mundo dos quadrinhos.

Dono de uma fantasia fiel e uma aparência física que lembra muito o Peter Parker que conhecemos nos filmes e nas séries, Thyago leva tão a sério a “profissão” de Homem-Aranha que trocou o nome do seu perfil no Facebook de “Thyago Souza” para “Peter Souza” – de acordo com ele, a rede social não aceitava o “Parker” como sobrenome já que remetia justamente ao personagem (medida tomada para evitar perfis fakes).

Quando perguntado como toda a encarnação do Aranha se deu início, ele lembra do estágio que realizou em uma casa de acolhimento em São Paulo:

Eu precisava desenvolver um projeto de intervenção que estimulasse a criatividade deles e promovesse a interação entre todos, assim como a motivação. Como sempre tive esse desejo de fazer o bem para as pessoas e fazer elas se sentirem felizes, eu pensei “por que não unir o útil ao agradável? ”. Então juntei minhas economias e investi comprando a fantasia de Homem-Aranha, que afinal, sempre foi meu herói favorito de infância. Na cidade de Leme, interior de São Paulo, onde cursei a minha faculdade, existem orfanatos, hospitais infantis, APAE, casas de acolhimento às crianças e mulheres vítimas de maus tratos. Então vesti a fantasia e agendei as visitas nessas casas, desenvolvendo oficinas e atividades com as crianças.

De lá para cá, Thyago mudou-se para Balneário Camboriú e com ele, o Homem-Aranha também.

O jovem não perdeu tempo, e criou logo a página oficial do seu personagem para divulgar suas ações, que entre elas estão visitas à escolas, hospitais e até partição de eventos políticos como a Manifestação Pró-Bolsonaro.

CONFIRA NAS IMAGENS ALGUMAS DAS AVENTURAS DO HOMEM-ARANHA DE BALNÉARIO CAMBORIÚ


LEIA A ENTREVISTA COM THYAGO, O HOMEM-ARANHA DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ, NA ÍNTEGRA:

-Percebe-se que você gosta muito de interagir com as crianças quando está de Homem-Aranha. Como costuma ser a reação delas?

Sempre gostei de crianças, tanto que um dos meus maiores sonhos é ser pai.

A maneira simples com que os pequenos encaram o mundo, os problemas, de forma tão ingênua, inocente e pura, me fascinam. São seres desprovidos de sentimentos banais e que nos corrompem enquanto adultos, como ódio, avareza, etc.

Quando saio pelas ruas como Homem-Aranha, eu realmente esqueço que sou o Thyago e encarno o personagem. Creio que quando se propõe a fazer o papel de um personagem, você precisa agir como ele em todos os sentidos, até para passar essa imagem às crianças.

Creio que por isso, elas reagem de maneira tão incrível e positiva quando me veem, pois sou um fã incondicional do Homem-Aranha desde a infância, li todos os gibis, assisti todos os desenhos, filmes e me considero um grande conhecedor da história do super-herói.

 As crianças correm para me abraçar, conversam sobre os filmes, vilões, pedem fotos e até autógrafos! Me divirto bastante com elas!

– Já teve alguma criança que teve uma reação inusitada, que você não esperava ou te deixou em saia justa?

Teve uma vez que visitei a Escola Municipal Professor Armando Cesar Ghislandi, aqui em Balneário Camboriú mesmo, e uma aluna começou a chorar assim que me viu. Ela era grande já, o que me surpreendeu, pois aparentava ter uns 14 anos, e eu não sabia qual era o motivo do choro, se era felicidade ou medo! (Risos).

 Suas amigas vieram até mim e me contaram que ela estava chorando. Eu me preocupei e perguntei se o motivo era medo ou emoção, para saber como eu reagiria. Foi então que elas me explicaram que se tratava de uma garota muito fã do Homem-Aranha e me perguntaram se eu poderia ir até lá para conversar com a menina. Prontamente fui ao seu encontro, a cumprimentei e tiramos uma foto juntos, depois que ela já estava mais calma.

Fico muito feliz com todo esse carinho que recebo tanto das crianças quanto da galerinha mais velha. Quando me pedem para soltar teia é sempre uma saia justa! (Risos).

Eu realmente gostaria de ter um dispositivo real que lançasse teias por aí, mas como ainda não inventaram isso e eu preciso passar credibilidade, sempre improviso e arranjo uma desculpa.

 Às vezes digo que não posso soltar as teias para não sujar a cidade, para estimulá-los desde cedo a desenvolver sua cidadania.

O Maicon Mask – animador de festas e eventos aqui da região que se utiliza da fantasia do personagem “Máskara” – teve um começo de carreira quase que semelhante à sua. Você pretende transformar o Homem-Aranha em um trabalho?

Admiro demais o trabalho do Maicon!

Antes de me mudar, ano passado, para a cidade de Balneário Camboriú, já havia tido conhecimento do trabalho dele através do Instagram e desde então passei a segui-lo nas redes sociais. Até brinquei com ele, que o Homem-Aranha estava chegando na cidade e precisávamos fazer um “crossover” desse encontro e tirar uma foto juntos, mas infelizmente ainda não surgiu a oportunidade.

Eu nunca tive a ideia de trabalhar com a imagem do Homem-Aranha. Pelo fato de eu ser psicólogo, sexólogo e escritor, me ocupo bastante atendendo e escrevendo meus textos e frases para o meu Instagram.

Inclusive gostaria de aproveitar o espaço para divulgar meu Instagram pessoal, que é: @thyagopsicologo. Algumas pessoas começaram a me mandar mensagens, pedindo para que eu fosse no aniversário de seus filhos. Desde então, mandei confeccionar alguns cartões de visita.

Na medida do possível, conciliando com minha agenda pessoal, tenho trabalhado com isso e marcando presença em alguns aniversários, que geralmente são aos finais de semana e dá pra tirar uma graninha extra.

Super-Heróis são símbolos de adoração, e algumas vezes de desejos excêntricos. Já te pediram para realizar alguma fantasia sexual vestido de Homem-Aranha?

Olha, chegar ao ponto de pedir para realizar alguma fantasia sexual vestido como o personagem não. (Risos)

O que às vezes acontece é de eu estar passando pela rua e fazerem algumas piadinhas, elogiarem, esse tipo de coisa. De vez em quando ouço umas coisas mais indecentes da galera, mas levo tudo na brincadeira, na esportiva!

O Homem-Aranha, apesar de ser um personagem que não possui tanta massa muscular, precisa estar em forma. Isso é uma preocupação pra você?

Sem dúvidas! Como citado anteriormente, procuro ser muito fiel ao personagem e digo isso também fisicamente. Desde a minha infância até o início da adolescência, sempre fui magrelo. Tinha uma enorme dificuldade em ganhar massa muscular devido ao metabolismo acelerado. Isso me incomodava um pouco, então decidi começar a malhar.

Hoje, com 28 anos, não tenho um corpo “bombado” e estou longe de ser “monstrão”, mas malho todos os dias e nos exercícios aeróbicos intercalo entre correr ou pedalar.

Gosto muito de correr pela praia e andar de bicicleta, então busco revezar. Como você disse, o Homem-Aranha nunca foi um herói muito forte fisicamente, mas sim definido. Acredito que isso me torna ainda mais parecido com ele, pois me cuido para estar sempre definido também e com um corpo bacana.

– “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades.” Essa frase eternizada pelo personagem mexe com você de alguma forma?

Com certeza!

Eu diria até que essa frase me define! Acredito que sua responsabilidade é ou pelo menos deveria ser proporcional ao seu poder. Quando me refiro a poder, não necessariamente estou citando os poderes dos super-heróis, mas também o cargo que você ocupa em sua empresa, a responsabilidade que lhe é atribuída à sua vida, etc.

Eu por exemplo, como um super-herói na visão das crianças, tenho que dar exemplos. Não posso sair falando palavrões pelas ruas, ser visto com bebidas alcoólicas, sujar a cidade, muito menos estar envolvido em confusões. Eu tenho a consciência do meu “poder” e da influência que tenho com relação às crianças.

Mas e quando eu tiro meu traje de super-herói e me torno apenas o Thyago?

Será que todas essas responsabilidades acabam? Não, elas são substituídas por outras. Como sou psicólogo, tenho um compromisso com a ética profissional, com o sigilo dos meus pacientes, com a qualidade do serviço e atendimento que presto à população, etc.

Quando não estou trabalhando, preciso exercer a minha ética pessoal, aquele conjunto de atitudes de regem e sustentam meus valores morais. Portanto, não existe frase que melhor me define!

Por que Balneário Camboriú precisa do Homem-Aranha?

O principal objetivo do Homem-Aranha é levar alegria para as pessoas nas ruas, sejam elas crianças ou adultos. Sem distinção de raça, gênero ou condição social. Creio que não apenas Balneário Camboriú, mas o mundo precisa disso!

 Sempre vejo indivíduos reclamando da atual situação do ambiente em que vivemos e discutindo atitudes que poderiam salvá-lo, mas nunca fazendo a sua parte para contribuir com essa evolução. Se cada um de nós tirasse ao menos um dia ou um pequeno momento para fazer o bem ao próximo, com certeza teríamos aquele mundo que tanto sonhamos.

Pequenas atitudes se tornam gigantes quando realizadas em prol de um propósito em comum. Graças a Deus, a maioria das pessoas que tomam conhecimento sobre meu trabalho voluntário, me elogiam e parabenizam.

Mas infelizmente ainda há aqueles que debocham e perguntam: “Você não tem vergonha de ter a idade que tem e sair pelas ruas fantasiado como um super-herói?” Não! Eu não tenho e jamais tive! Quando fazemos algo de coração e com boas intenções, não há motivo algum para se envergonhar.

Vergonha eu teria de roubar, matar ou praticar o mal nas suas mais variadas formas.

Já vivemos em um ambiente tão conturbado! A correria diária, o estresse e a depressão fazem parte da vida da maioria dos indivíduos que não encontram um tempo nem ao menos para sorrir, muito menos pessoas dispostas a proporcionar isso a elas.

Portanto, se eu posso arrancar um sorriso de alguém, mesmo que essa pessoa esteja apressada para pegar o ônibus e ir trabalhar, pode ter certeza que farei com o maior prazer!

Por esse motivo, creio que todos nesse mundo precisam de um “Homem-Aranha” em suas vidas.

por LUCAS MACHADO
jornalista
DRT 0006544/SC


COMENTE ABAIXO ⬇
- Publicidade -

Últimas do colunista

“Democracia em Vertigem”: filme da Netflix narra a ascensão e queda de Dilma e Lula

Dirigido por Petra Costa, o documentário explora a polarização política do Brasil

Xuxa fala sobre seu filme proibido dos anos 80: “Pelé me fez fazer”

Em entrevista à Eliana, a apresentadora não hesitou ao falar sobre “Amor, Estranho Amor” – filme em que atuava seduzindo um menino de 12 anos de idade
- Publicidade -

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.