Lei para prevenir acidentes em piscinas existe; Houve falha na fiscalização?

Lei determina a obrigatoriedade de instalação de dispositivo para interromper o processo de sucção nas piscinas

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Piscina do Hotel San Felice, onde uma criança morreu neste domingo.

Em 2014 o vereador Roberto Souza Jr apresentou uma proposta na Câmara de Vereadores que estabelece regras para a prevenção de acidentes em piscinas.

A lei, que entrou em vigor no dia 29 de março de 2016, determina a obrigatoriedade de instalação de dispositivo para interromper o processo de sucção nas piscinas, com o objetivo de evitar que pessoas fiquem presas pelos cabelos nos ralos, como o caso registrado neste domingo em Balneário Camboriú, onde uma criança de 7 anos acabou morrendo afogada exatamente por esse motivo.

Houve falha na fiscalização dessa lei? E agora, quem se responsabiliza pela morte da pequena Raquel?

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -