Delegado pede serenidade e coerência de policiais militares em suas ações e comentários

"[A discórdia entre as instituições] não será fator determinante na soltura dos policiais presos", diz o delegado David Queiroz, através de uma nota

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

O Delegado Regional de Balneário Camboriú, David Tarciso Queiroz de Souza (Arquivo Pessoal / Reprodução)

O delegado regional de Balneário Camború, David T. Queiroz de Souza, emitiu uma nota neste final de semana pedindo serenidade e coerência de policiais militares, que insistem em promover um repúdio contra a Polícia Civil por causa da prisão de seis integrantes do PPT.

Na nota, o delegado diz que as prisões em questão não foram um ato isolado de um delegado, mas decretadas por um Juiz de Direito, com o aval do Ministério Público, e fundamentadas na lei, e que passeatas e comentários ofensivos não farão com que as prisões sejam revogadas.

Confira na íntegra:

NOTA DO DELEGADO REGIONAL DA 29a DELEGACIA REGIONAL DE POLICIA CIVIL
Diante dos inúmeros ataques institucionais e a policiais civis, a Delegacia Regional de Balneário Camboriú vem a público prestar esclarecimentos quanto à prisão preventiva de policias militares do PTT desta cidade:

1) Ao contrário de grande parte das críticas, as prisões em questão foram decretadas por um Juiz de Direito, com o aval do Ministério Público, e fundamentadas na lei. Portanto, não podemos perder de vista que críticas e pressões institucionais, quando desprovidas de argumentos jurídicos, são inférteis, e somente resultarão em acirramento dos ânimos dos policiais. O caso esta sob o crivo do Poder Judiciário e, nesse contexto, passeatas ou ofensas nas redes sociais, não terão o condão de revogar a prisão dos policiais.

2) Respeitamos a Polícia Militar, bem como os policiais detidos e em momento algum colocamos em discussão a honra e dedicação funcional deles. Todavia, a Polícia Civil não pode se omitir ao cumprimento do dever de investigar, por mais difícil que seja. Nossas ações são pautadas pela imparcialidade e pela legalidade e, independentemente de quem seja o investigado, temos que tomar as medidas legais.

3) Dessa forma, enfatizamos que a prisão dos policias militares não foi um ato isolado de um Delegado de Polícia, mas sim uma medida legal decretada pelo Poder Judiciário, com o aval do Ministério Público, estritamente baseada na lei.

4) O momento é extremamente preocupante e, assim, pedimos serenidade e coerência de todos os policiais em suas ações e comentários. A discórdia entre as instituições é prejudicial para toda a sociedade e certamente não será fator determinante na soltura dos policiais presos.

5) O Excelentíssimo Delegado Geral de Polícia, Dr. Artur Nitiz, tem se mostrado sensível questão e acompanhando de perto toda a repercussão do caso, pedindo a máxima tranquilidade aos policiais civis e a continuidade do seu mister Constitucional sempre pautado na legalidade.

Balneário Camboriú, 27 de maio de 2017.
David T. Queiroz de Souza
Delegado Regional de Balneário Camboriú.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -