- PUBLICIDADE -

Regata divulga Itajaí para mais de 100 países

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

UniAvan oferta atendimento psicológico a profissionais da ONG Viva Bicho

A ação é realizada pelos acadêmicos dos anos finais do curso de Psicologia e visa o bem-estar das pessoas que trabalham diariamente com os animais

As imagens da Volvo Ocean Race em Santa Catarina foram levadas para mais de 100 países e colocaram Itajaí na rota dos grandes eventos esportivos. A passagem da regata de volta ao mundo pela cidade pode ser considerada uma das maiores exposições catarinenses no cenário internacional.

Além disso, a regata gerou para a região retorno no setor de turismo, com hotéis e restaurantes lotados durante os 19 dias da parada brasileira. Segundo a organização, 50 jornalistas de 12 países (Espanha, França, Portugal, Irlanda, Itália, Suécia, Inglaterra, Estados Unidos, África do Sul, Emirados Árabes, China e Nova Zelândia), foram credenciados e usaram a estrutura de imprensa montada no Centreventos para mostrar o município para todo o planeta. As principais agências internacionais de notícias, Reuters, EFE e France Presse, também divulgaram todos os detalhes da única Parada da América Latina na edição 2011/2012 para o mundo inteiro.

“A flotilha segue para Miami, mas a exposição de Itajaí continua. Mostramos nossa capacidade de organização e os estrangeiros querem voltar na próxima edição. Os números são impressionantes e turistas elogiaram o trabalho. Geramos empregos diretos e indiretos e mostramos a beleza da nossa região”, explica Amílcar Gazaniga, presidente do Comitê Central Organizador da Parada de Itajaí, que já manifestou a intenção de sediar a Volvo Ocean Race em 2015.

A Vila da Regata recebeu mais de 281 mil visitantes, quase o dobro das 150 mil pessoas previstas. Outro detalhe: 50 mil pessoas assistiram dos molhes e das praias a chegada dos barcos, a Regata do Porto DHL e a partida para Miami.

Neste sentido, os organizadores contrataram a Price Waterhouse Coopers para fazer o levantamento completo do impacto econômico da Parada na cidade e região.

Sustentabilidade, ponto forte da Parada – Outro fato que marcou a Parada de Itajaí foi o cuidado com a sustentabilidade. A limpeza dos rios e das praias mobilizou quase 700 pessoas e retirou do meio ambiente mais de 8 toneladas de resíduos. Além disso, foram instaladas áreas para reciclagem de todo o material gerado na Vila da Regata.

As ações do Plano de Sustentabilidade da Volvo Ocean Race começaram antes mesmo de a regata chegar a Itajaí. No dia 24 de março, em uma das maiores mobilizações da história do município, cerca de 450 pessoas retiraram mais de seis toneladas de lixo das margens e do fundo do Rio Itajaí-Açu. Já na ação “Keep the Oceans Clean”, Matenha os Oceanos Limpos, em português, os 200 voluntários conseguiram retirar aproximadamente 1,5 tonelada de resíduos das praias da região.

Com os resíduos recolhidos durante a limpeza das praias, o artista plástico português João Parrinha construiu uma belíssima escultura. A obra de arte foi chamada de Tainha Mutante, com mais de dois metros de altura, e ficará na cidade como lembrança do evento. O artista, da organização Skeleton Sea, se uniu ao projeto da Volvo “Keep the Oceans Clean”. A cada parada da regata ele produz uma escultura diferente, sempre com o lixo proveniente da ação de limpeza das praias. “Itajaí é um lugar maravilhoso, e as crianças se mostram bastante conscientes a respeito da necessidade da proteção do meio ambiente. A participação delas é fundamental em minhas obras, pois um de meus maiores objetivos é justamente sensibilizar as pessoas e mostrar o quão perigosa pode ser a atitude de jogar lixo nos mares”, diz João Parrinha.

Centro de Reciclagem e Ecopontos – Outro número que impressiona é o do Centro de Reciclagem da Vila da Regata. Durante a montagem e os 19 dias do evento foram encaminhados e separados quase de 12 toneladas de resíduos recicláveis, entre eles plástico, vidro, ferro, papel, papelão e alumínio. “Junto com os Ecopontos, locais onde as pessoas podem levar o lixo que não é aceito na coleta, o Centro de Reciclagem busca incutir na mente das pessoas a necessidade urgente de destinar mais adequadamente nossos resíduos”, afirma Jonatas de Souza, presidente da Cooperfoz, a cooperativa que atua no Centro de Reciclagem..

Os Ecopontos foram colocados junto ao Centro de Reciclagem, atrás do container da Puma, na Vila da Regata. Ali, as pessoas podiam dar o destino correto a pilhas, baterias, óleo de cozinha, pneus e eletroeletrônicos. Em toda a área do evento foram instaladas lixeiras para coleta seletiva.

Números da reciclagem:
12 toneladas de material reciclável
4 toneladas só de vidro
1.4 toneladas de garrafas pet
600 quilos de outros plásticos
2 toneladas de papelão
1.8 toneladas de alumínio
1.6 toneladas de papel misto
600 quilos de ferro, latas e embalagens tetra pack

Salão Verde – Um importante palco para palestras e discussões foi criado no estande da Sustentabilidade, o Salão Verde. Ao longo do evento 15 palestras foram apresentadas no espaço, coordenado pela Fundação do Meio Ambiente de Itajaí, FAMAI, com público total estimado em quase 400 pessoas. Exposições com eletroeletrônicos, ações de educação ambiental e distribuição de mudas de árvores nativas da região também atraíram centenas de visitantes.

“Temas inovadores em sustentabilidade, como construções sustentáveis, geraram uma grande reflexão a respeito de nossas atitudes. Avalio como muito positivo esse ciclo de palestras e acredito que plantamos uma sementinha em termos de desenvolvimento sustentável na cidade de Itajaí”, diz Graziela Venson, bióloga da FAMAI e coordenadora do Salão Verde.

Diferentes temas foram abordados, como o gerenciamento Sustentável e o aproveitamento energético dos resíduos sólidos urbanos da região do Médio Vale, em palestra ministrada pela Secretária Executiva do Comitê do Itajaí, Fabiana de Carvalho Rosa. Outra palestra que chamou a atenção do público foi sobre a implantação do sistema de coleta de esgoto sanitário em Itajaí, feita pelo engenheiro químico do Semasa José Adriano Kielling.

Visitas guiadas levam conhecimento e diversão a mais de 12 mil crianças – Outro grande sucesso do Plano de Sustentabilidade da Volvo Ocean foi com as crianças da região. Cerca de 12 mil crianças e adolescentes, além de estudantes do EJA, Educação para Jovens e Adultos, FURB e APAE, foram conferir de perto as atrações da Vila da Regata.

“A visita guiada das escolas ao evento foi uma forma educativa de fazer um roteiro divertido e repleto de conteúdos interdisciplinares. Durante a visita os alunos passaram pelas atrações do evento, na área do piso superior do Centreventos e na Vila, contando ainda com programação extra do CEPSUL e Teatro de Fantoches”, explica Bruna Rocha Nazzari, coordenadora do projeto.

Os principais temas educativos envolvidos nas atividades foram sustentabilidade, cidadania, lixo nos oceanos (causas e consequências), bacia hidrográfica, arte e reciclagem. Mais de 600 professores se envolveram na ação, que deixa como legado uma importante reflexão em temas atuais.

Dia decisivo perto da linha do Equador -As primeiras parciais desta quinta-feira (26) podem apontar quem fez a melhor escolha na subida para Miami, nos Estados Unidos. A diferença é de 56 quilômetros entre o líder (Camper) e o último colocado (Groupama). O equilíbrio ocorre deste a saída de Itajaí e quem escolheu a melhor rota para passar pela zona sem ventos do Equador, chamada de Doldrouns, terá vantagem.

O cenário igual coloca Camper, Abu Dhabi e Puma praticamente empatados. O Telefónica e o Camper tentam uma rota diferente para ganhar velocidade. “É o grande dia, realmente,” explica o navegador do Puma, Tom Addis. “O primeiro barco que escapar [dos Doldrums] dificilmente será alcançado”. O tripulante da equipe norte-americana confessa que só se fala nessa estratégia a bordo. “Estamos felizes com a nossa posição. Temos 50% chance de acertar o melhor caminho”.

Fechando a flotilha, o time de Franck Cammas tenta colar no Telefónica, que escolheu o caminho leste e reduziu a diferença para os líderes. “Nós estamos mais acostumados a ser o barco caçado e não os caçadores”, relata o navegador Jean-Luc Nélias, do Groupama. “Os caras do Telefónica sempre foram um pouco mais rápido do que nós nesta regata. Por isso, vamos tentar entrar rapidamente na zona dos Doldrums”.

Classificação geral da Volvo Ocean Race:
1º – Telefónica (Iker Martínez) – 149 pontos
2º – Groupama (Franck Cammas) – 133 pontos
3º – Camper (Chris Nicholson) – 124 pontos
4º – Puma (Ken Read) – 117 pontos
5º – Abu Dhabi (Ian Walker) – 58 pontos
6º – Team Sanya (Mike Sanderson) – 25 pontos

Texto: ZDL – Assessoria de Comunicação Nacional da Parada Itajaí da Regata Volta ao Mundo


COMENTE ABAIXO ⬇

Receba as notícias do Click Camboriú pelo Telegram

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Clínica de odontologia da UniAvan oferece atendimento para cirurgias dentárias

Os procedimentos gratuitos serão direcionados a cirurgias de extração de dentes, remoção de freio, raiz quebrada, tratamento de lesões na boca, dentre outros
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.