Situação das monitoras pauta pronunciamento dos vereadores

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Divulgação

A sessão ordinária desta terça-feira (13) foi marcada por protesto e manifestação das monitoras de educação infantil, da rede municipal de ensino, de Camboriú. As servidoras lotaram o Plenário da Câmara de Vereadores segurando cartazes com palavras de ordem, solicitando adequação do cargo e respeito do poder executivo.

Em tribuna os vereadores aproveitaram para falar sobre a situação. José Simas (DEM) foi o primeiro a se pronunciar e comentou o quão difícil é cumprir as promessas de campanha e espera que nos próximos dias o prefeito Élcio Kuhnen tome providências para resolver o impasse.

O vereador Adriano Gervásio (PSDB) lembrou que na antiga gestão as monitoras cumpriram 8 horas, mas o sistema não funcionou. “É preciso ter responsabilidade na hora de tomar decisões, afinal estas mudanças vão refletir na rotina de muitas famílias”, comentou.

Ângelo Gervásio (PMDB), também lembrou da antiga gestão, afirmando que em reunião a antiga Secretaria de Educação, alertou que a mudança de nomenclatura de monitoras para professoras poderá falir o município. “É preciso ter cautela, não podemos prejudicar a comunidade a favor de uma só classe”, justificou o vereador.

Já o vereador Vilson Albino (PV), falou sobre a decepção com a falta de iniciativa do governo. “O que me deixa triste é a falta de diálogo com o executivo. É tempo de fazer Camboriú evoluir”, comentou o vereador. Para Amilton Bianchet, esta também é a principal questão. Ele concorda que para ter uma boa educação é preciso ouvir as educadoras.

Após o grande expediente, os vereadores ouviram mais uma vez as monitoras e debateram individualmente a questão.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -