- PUBLICIDADE -

Prefeito eleito de Itajaí apresenta desafios para novo mandato

Setenta empresários participaram da reunião com Volnei Morastoni nesta terça-feira, na Intersindical

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Comece bem o verão com marmitas caseiras da Light Food BC

Por sua qualidade de vida e saúde, nos dias quentes mantenha uma alimentação saudável com as marmitas da Personal Chef Fit Kris Borba

Divulgação
Divulgação

O prefeito eleito Volnei Morastoni iniciou sua fala trazendo informações sobre a transição de governo com o atual prefeito Jandir Bellini e disse que está acontecendo de forma tranquila. Neste momento, uma comissão criada está elencando as informações para planejar a continuidade do governo e, leva em conta assuntos prioritários como das áreas do transporte, da educação e da saúde e contratos / convênios, que vencem no fim de 2016. Com essas informações, a equipe vai buscar planejar os 100 primeiros dias de governo em 2017.

Morastoni pontuou ainda os assuntos que preocupam na questão de receita para o município, em tempos de crise. Ele trouxe dados do setor de funcionalismo público: atualmente em Itajaí são 6.500 funcionários concursados, destes, 3.500 estão na educação e 1.600 na saúde e o restante, nos demais setores da administração pública. Por mês, a folha salarial chega a R$ 42 mi. De acordo com Morastoni, esse montante corresponde a 70% da arrecadação, e o que baixa essa porcentagem para 50% é a arrecadação vinda das autarquias ( Semasa e Porto), e que acabam auxiliando o município nos pagamentos em geral. “ Precisamos valorizar e capacitar os servidores, fazer plano de cargo e carreira, mas temos que colocar pontos para poder conter essa questão, que aponta tendência de dobrar o valor a cada 4 anos”, explicou Morastoni.

Outro problema que preocupa o novo prefeito é na área social. Segundo Morastoni, o atual governo passou informações de que 109 famílias recebem o aluguel social, e esse número deve aumentar com a retirada de mais de 30 famílias da região do bairro Canhanduba. E a reclamação relacionada ao ITBI por parte dos empresários e da comunidade de Itajaí, Morastoni informou que a situação será revista, assim como a taxa, os critérios e as políticas públicas relacionadas a coleta do lixo.

Outra afirmação do novo representante municipal que deixou os presentes na reunião confiantes foi o comprometimento de Morastoni em escolher com as entidades o nome do secretário de desenvolvimento urbano. Ele citou a necessidade de criar um grupo de trabalho antes mesmo da posse para já estabelecer um novo ritual para os processos na área da construção civil, na abertura de empresas e outras áreas para garantir acima de tudo a impessoalidade no atendimento, com informatização e o estabelecimento de prazos para tramitação dos processos. “ Percebemos que o projeto de reestruturação do novo governo está aberto a ouvir a comunidade, uma vez que o prefeito se mostrou totalmente disponível para saber da sociedade como deverá conduzir o trabalho nos próximos 4 anos”, comentou o presidente da Intersindical, Marcello Petrelli.

O prefeito eleito projeta para iniciar um trabalho no próximo ano relacionado ao que chamou de 4º pilar: a área do turismo. Segundo ele, Itajaí tem uma identidade voltada ao mar e além do porto, construção naval e da pesca, precisa se beneficiar da “localização privilegiada” e criar um plano de profissionalização do turismo. Sobre a área portuária, que mais preocupa todos os setores da economia do município, Morastoni afirmou que irá buscar apoio do Governo Federal, através da articulação técnica e política, para garantir os recursos das obras nos berços 3 e 4 e da bacia de evolução, além da via expressa portuária, importante para o trabalho do setor do transporte. Durante a reunião, os representantes do setor do transporte rodoviário que estavam presentes ouviram do novo prefeito o compromisso de conversar com todos os envolvidos nesse setor, para melhorar o trabalho.

Para o presidente do SEVEÍCULOS, Paulo Espíndola, esta abertura de diálogo é importante, principalmente neste momento de instabilidade e incertezas pela qual passa o nosso país e consequentemente os municípios. “É importante que possamos resolver os problemas dentro da nossa casa, hoje o setor de transporte rodoviário de cargas em Itajaí amarga inúmeras dificuldades e muitas estão ligadas diretamente ao porto de Itajaí. A busca por novas linhas, como mencionou o prefeito e o perfil de competitividade que ele pretende criar para o porto, pode ser uma saída para este momento difícil, pelo qual estamos passando”, concluiu Paulo Espíndola.

O encontro reuniu os presidentes das entidades de classe, de sindicatos patronais e laboral, empresários e membros da imprensa local na sede da Intersindical Patronal de Itajaí na noite desta terça-feira, 18 de outubro.


COMENTE ABAIXO ⬇

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Mesmo com a pandemia, coleta para reciclagem aumentou 31% neste ano

Ainda em 2019, a coleta de recicláveis deu um salto em BC em decorrência da implantação de novas políticas públicas
- PUBLICIDADE -

Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.