- PUBLICIDADE -

Andarilho é encontrado morto no Rio Camboriú

Corpo foi encontrado boiando no Rio Camboriú, próximo ao trapiche de pescadores no Bairro São Francisco de Assis

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Camboriú Play recebe o youtuber Natan Por Aí nesta sexta-feira, 12

O podcast acontece ao vivo às 13h30, pelo canal do Camboriú Play no YouTube

CAMBORIÚ – A Polícia Militar foi acionada pela central de emergência para atendimento de ocorrência de morte acidental na manhã desta quarta-feira, 01.jun.2022, por volta das 9h, na Rua Santo Estevão, Bairro São Francisco de Assis.

Vizinhos do local viram um corpo boiando no Rio Camboriú, próximo ao trapiche de pescadores, e acionaram os Bombeiros. Quando a PM chegou no local, a guarnição visualizou o cadáver boiando e ratificaram o acionamento do corpo de Bombeiros, que fizeram a remoção do corpo até a margem. Foi feito contato também com o IGP e Polícia Civil.

Segundo a Perita do IGP presente no local, o corpo aparenta estar em estado de 10 a 15 dias de decomposição aproximadamente. A guarnição retirou o corpo do rio e deixou aos cuidados do IGP.

Em razão das características de pessoa em situação de rua, semelhante a um homem que sempre transitava em Camboriú, foi realizado contato com outros andarilhos, que procederam a identificação e afirmaram se tratar de um homem de 42 anos que estava desaparecido desde sábado.

A vítima possuía registros policiais por lesão corporal, furto e receptação. No último mês de outubro, foi abordado pela PM e a Assistência Social, no âmbito da operação dignidade, em razão da condição de pessoa de rua.

Não foi possível apurar a causa da morte, que só poderá ser constatada após exame cadavérico. Não havia sinais de violência.


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de Balneário Camboriú e região em seu e-mail.

⚠ Confirme na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Como a cannabis medicinal tem ajudado famosos e não famosos

A Huniq, empresa de cannabis medicinal instalada em Itajaí, é responsável pelo tratamento das quatro histórias apresentadas nessa reportagem
- PUBLICIDADE -