- PUBLICIDADE -

Construtor de Balneário Camboriú é detido com quase 1 milhão de dólares no Pará

Dentro da aeronave que ele pilotava foram encontrados U$ 978 mil acondicionados em uma maleta e um revólver calibre 38

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Comece bem o verão com marmitas caseiras da Light Food BC

Por sua qualidade de vida e saúde, nos dias quentes mantenha uma alimentação saudável com as marmitas da Personal Chef Fit Kris Borba

No último sábado (21), o sócio de uma construtora de Balneário Camboriú, acusada de lesar dezenas de clientes, foi preso no estado do Pará com quase 1 milhão de dólares, ao pousar o avião que pilotava.

A Polícia Civil paraense recebeu a denúncia de que uma aeronave que estava na cabeceira da pista do aeroporto municipal de São Félix do Xingu, estaria transportando drogas ilícitas. Imediatamente, a equipe de policiais civis de São Félix se deslocou ao local para averiguar a situação.

Na cabeceira da pista estava a aeronave prefixo PT-IHS. No banco do piloto a polícia encontrou um homem que se identificou como Rafael Silveira Dias. Ele informou que havia decolado de Paragominas (no sudeste) com destino a Novo Progresso (município do sudoeste paraense), levando apenas um passageiro, que teria fugido ao notar a presença dos policiais.

Dentro da aeronave, após vistoria realizada com apoio da equipe de policiais civis de Tucumã, foram encontrados um revólver calibre .38, dois galões contendo, cada um, 50 litros de combustível para avião, além de U$ 978 mil acondicionados em uma maleta. Ele foi autuado em flagrante.

aeroporto

“Recebemos a denúncia de manhã cedo, que se tratava de tráfico de drogas, e acabamos fazendo a maior apreensão de dinheiro em dólar. São quase um milhão de dólares apreendidos. As equipes da Decor e Core assumirão as investigações”, informou o delegado-geral de Polícia Civil, Alberto Teixeira.

Em Balneário Camboriú, Rafael foi sócio da Raka Construtura e denunciado criminalmente pelo Ministério Público pelo crime de estelionato continuado e pela contravenção de vender imóvel sem a devida incorporação. Os fatos consistiam na venda do mesmo imóvel para mais de um comprador, não entrega do imóvel vendido e venda de imóvel inexistente.


COMENTE ABAIXO ⬇

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Mesmo com a pandemia, coleta para reciclagem aumentou 31% neste ano

Ainda em 2019, a coleta de recicláveis deu um salto em BC em decorrência da implantação de novas políticas públicas
- PUBLICIDADE -

Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.