Polícia Civil elucida homicídio ocorrido no Bairro das Nações

Vítima foi assassinada com um tiro no rosto em frente a um bar na Rua Peru

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Robson foi preso pela Polícia Militar na Avenida Palestina no dia 18 de abril (Arquivo)

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, elucidou o assassinato de Edilso Alupes Maia, 43 anos, ocorrido no dia 18 de junho de 2016, em frente a um bar localizado na Rua Peru, no bairro das Nações, em Balneário Camboriú.

O autor foi identificado como Robson Henrique da Silva dos Santos, de 19 anos, que efetuou um disparo de arma de fogo contra Edilso, que morreu no local. Durante as investigações foi apurado que Robson efetuou o disparo em frente a um bar, fugindo em seguida sem ser identificado.

A investigação apurou ainda que Robson possuía certa liderança como traficante de drogas na comunidade, e para mostrar respeito queria disciplinar o local em razão de constantes confusões e brigas que Edilso cometia na vizinhança, eis que era dependente de bebidas alcoólicas.

No dia do crime, a vítima estava alcoolizada e foi retirada do bar por cerca de seis pessoas que a agrediram dentro do estabelecimento. Ao deixar o local se arrastando, a vítima foi puxada por Robson que efetuou um disparo em seu rosto.

Diante das evidências colhidas através da investigação, o Juízo da 1ª Vara Criminal de Balneário Camboriú acolheu a representação do Delegado de Polícia Osnei Valdir de Oliveira pela prisão temporária de Robson, que foi deferida no dia 12 de abril.

Na tarde do dia 18 de abril foi efetivado o cumprimento do mandado de prisão expedido em desfavor de Robson, cuja prisão ocorreu na Avenida Palestina, no bairro das Nações, e encaminhado ao Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí.

No dia seguinte, Robson foi levado à sede da DIC e interrogado, onde negou a participação do crime. O indiciado apresentou um álibi, alegando que no dia do crime se encontrava na cidade de Criciúma, no entanto, tal alegação restou desconstituída por meio das provas amealhadas aos autos.

Diante das provas constantes dos autos, foi representado pela prisão preventiva de Robson, que continua preso aguardando a representação do Delegado de Polícia Osnei.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -