- PUBLICIDADE -

Jornalista condenada por corrupção ativa é presa em Porto Belo

Ela fazia parte de um esquema ilegal de exploração de jogos de azar com participação de agentes públicos

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Maislaser vai presentear 100 pessoas com 10 sessões de depilação a laser em agosto

10 sessões de depilação a laser em uma área pequena! Não vai perder esse presentão, né?
Arquivo
Arquivo

A jornalista Paula Cristina de Morejano e Chaves, de 32 anos, foi presa neste domingo (27), no bairro Perequê, em Porto Belo, acusada de envolvimento com jogos de azar. A prisão ocorreu por volta das 13h30min, na rua Melain Glaush.

Paula, que foi condenada a 4 anos e 2 meses de prisão por corrupção ativa, fazia parte de um esquema ilegal de exploração de jogos de azar com participação de agentes públicos. Ela trabalhava em uma casa de jogos de azar e pagava policiais corruptos para não fecharem o local.

A jornalista foi repórter no jornal O Atlântico e Correio do Município, ambos de Itapema, e atuou como assessora de comunicação durante a campanha eleitoral da prefeita eleita Nilza Simas (PSD). Ela era cotada para assumir a comunicação da prefeitura de Itapema a partir do ano que vem.


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de Balneário Camboriú e região em seu e-mail.

⚠ Confirme na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Como a cannabis medicinal tem ajudado famosos e não famosos

A Huniq, empresa de cannabis medicinal instalada em Itajaí, é responsável pelo tratamento das quatro histórias apresentadas nessa reportagem
- PUBLICIDADE -