- PUBLICIDADE -

O filho que matou a mãe: a história detalhada

O grau de violência empregado pelo autor impressionou até mesmo policiais experientes que atuaram no caso

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Bruno Ouriques Furtado assassinou sua própria mãe.
Bruno Ouriques Furtado assassinou sua própria mãe.

Um crime bárbaro chocou Balneário Camboriú na última quarta-feira (11). A professora Márcia Ouriques, 45 anos, foi assassinada por golpes de faca no apartamento onde morava com o filho, na Rua 4500, no Centro de Balneário Camboriú. As primeiras investigações realizadas pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) no local apontavam o filho Bruno Ouriques Furtado, 18 anos, como o principal suspeito. Após cometer o crime, Bruno fugiu levando uma motocicleta de propriedade da mãe.

A polícia foi acionada por vizinhos que ouviram gritos de uma briga no apartamento de Márcia por volta das 5 horas da manhã. A vítima suplicava por socorro. Márcia foi encontrada morta pouco tempo depois, onde o Instituto Geral de Perícias revelou que ela foi assassinada com 38 golpes de faca desferido no corpo. O apartamento se encontrava com visíveis marcas de violência e sangue.

Diante do que restou apurado nas investigações encetada logo depois do crime, foi repassado a todas as forças de segurança da região a informação acerca da autoria, sendo solicitado o empenho de todos para a captura do suspeito, tendo as buscas para a localização se intensificado ante a abrangência da informação, que foi difundida por meio dos aplicativos Whatsapp e Telegram.

Na manhã de quinta-feira (12), em razão das diligências ininterruptas realizadas e diante do cerco e iminência de ser localizado, eis que as diligências se estenderam até a noite, Bruno solicitou que uma mulher informasse a Polícia Militar acerca de seu paradeiro, culminando com sua captura na cidade de Bombinhas – SC onde se encontrava escondido.

Márcia foi assassinada pelo próprio filho.
Márcia foi assassinada pelo próprio filho.

Ao ser interrogado pela Autoridade Policial na sede da DIC, Bruno confessou que na noite do crime chegou a casa embriagado, e sua mãe percebeu que havia consumido drogas, tendo o expulso de casa, quando então se iniciou uma discussão entre eles. Inconformado com a decisão de sua mãe, Bruno apanhou uma faca e passou a desferir golpes, tendo os primeiros atingidos a cabeça da vítima e, mesmo ferida a vítima dizia que amava o filho e implorava para que Bruno parasse de agredi-la, contudo, sem sucesso. O autor alegou que as várias facadas foram necessárias para evitar que a vítima sofresse.

As facas usadas  no crime.
As facas usadas no crime.

Neste ínterim, vizinhos bateram na porta para auxiliar a vítima, porém o autor a sufocou com um travesseiro e a esganou com as mãos, impedindo que continuasse a pedir socorro. Após o cometimento do crime Bruno tomou banho, escolheu, segundo ele as melhores roupas e as mais caras e deixou o corpo de sua mãe no apartamento, levando consigo além das roupas, a carteira da vítima contendo R$ 100, relógio, chave do veículo e a motocicleta, utilizada para empreender fuga.

Durante o deslocamento para a cidade de Bombinhas sofreu um acidente, tendo abandonado a motocicleta em um barranco, sendo localizada pela Equipe de Investigação da DIC, orientando-se pelas informações prestadas por Bruno. Os demais pertences também foram recuperados, com exceção do valor que utilizou para pagar a diária em uma pousada onde pernoitou.

Bruno foi autuado em flagrante por homicídio doloso. O procedimento foi possível pelas investigações contínuas realizadas pela DIC, tendo a Autoridade Policial representando pela decretação da prisão preventiva, sendo o pleito acolhido pela Juíza de plantão, e ainda na mesma noite foi expedido o mandado de prisão preventiva, assegurando que Bruno permaneça recluso até o seu julgamento.

Segundo o Delegado de Polícia Osnei Valdir de Oliveira, coordenador da DIC – BC, o grau de violência empregado pelo autor impressionou até mesmo policiais experientes que atuaram no caso, especialmente pelo fato de ser praticado contra a própria mãe, descrita pelas pessoas inquiridas no procedimento com uma pessoa pacífica e aberta ao diálogo, e que dedicava sua vida para proporcionar uma vida confortável ao filho, que se tornou seu algoz.

O Delegado ainda destacou o quanto é importante o combate ao uso e tráfico de drogas, que nesse caso foi o que causou a destruição de uma família, cujo crime chocou a sociedade.

Após os procedimentos cartorários, Bruno foi encaminhado ao Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, no bairro Canhanduba, em Itajaí.


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Galeria M.I.U. inaugura lado B com a exposição engenhariaREVERSA neste sábado, 12

A Galeria M.I.U. e o artista ONESTOdiesel convidam a todos para o pocketshow e uma tarde de texturas, contrastes, cores, vinhos e um bom papo
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.