Inquérito que indiciou 104 integrantes de organização criminosa é concluído

Por meio do inquérito policial que finalizou com 1593 páginas, foi investigada uma organização criminosa responsável por diversos crimes em Santa Catarina

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Divulgação

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, finalizou inquérito policial e indiciou 104 integrantes de organização criminosa e concluiu a investigação que desencadeou a Operação Hidra de Lerna. Por meio do inquérito policial que finalizou com 1593 páginas, foi investigada uma organização criminosa responsável por diversos crimes em Santa Catarina.

As investigações tiveram início em junho deste ano e culminaram com a deflagração da Operação Hidra de Lerna no dia 8 de setembro. Na ocasião mais de 200 Policiais Civis cumpriram 72 mandados de prisão e diversos mandados de busca e apreensão nas cidades de Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema, Navegantes, Penha, Balneário Piçarras e Joinville.

No decorrer do trabalho investigativo foram indiciadas ao todo 104 pessoas, com a identificação dos líderes do bando, dentre eles todos os integrantes do segundo escalão da facção criminosa, e um integrante do primeiro escalão desta organização.

Os criminosos foram indiciados por integrar organização criminosa, agravado por se tratar de organização armada e haver conexão com outras facções criminosas (art. 2º, da Lei 12.850/13), além de tráfico de drogas (art. 33, da Lei 11.343/06), associação para o tráfico (art. 35, da Lei 11.343/06) e corrupção de menores (art. 244-B, ECA).

As provas reunidas no inquérito policial demonstraram de forma cabal que os investigados foram os responsáveis por uma série de crimes perpetrados no estado no final do mês de agosto e início de setembro do corrente ano, especialmente crimes contra prédios e Agentes da segurança pública.

Foram esclarecidos ainda vários homicídios consumados e tentados nas cidades de Camboriú, Navegantes e Joinville. As provas estão sendo compartilhadas com as Delegacias que estão investigando os casos, e dentre esses crimes, por meio da investigação realizada pela Polícia Civil, foi identificado os autores do assassinato de um policial militar de Camboriú e de um homem que a época integrava a organização criminosa, e foi decapitado, teve as mãos amputadas e o cadáver queimado e ocultado em um matagal, crime praticado por outros integrantes da facção que o acusaram de furto.

O trabalho investigativo foi realizado pela Polícia Civil, com incondicional apoio do Ministério Público e Poder Judiciário da comarca de Navegantes, com as céleres apreciações dos pleitos e decisões que possibilitaram o desenvolvimento dos trabalhos, além do trabalho do IGP – Instituto Geral de Perícias após a deflagração da operação.

O inquérito policial foi remetido na semana passada ao Fórum da Comarca de Navegantes, cidade onde teve origem às primeiras investigações.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -