Resgate Social realizou 30 abordagens no primeiro dia da Operação ‘Festas de Outubro’

12 pessoas foram acolhidas na Casa de Passagem do Migrante e seis voltaram para as suas cidades de origem

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Divulgação

O Resgate Social, departamento da Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, iniciou nesta terça-feira (03) a Operação “Festas de Outubro”. Durante o primeiro dia da ação, 30 abordagens foram feitas, sendo 12 pessoas acolhidas na Casa de Passagem do Migrante e seis para as suas cidades de origem.

“Oferecemos o serviço de acolhimento àqueles que por ventura se encontram em vulnerabilidade social, mas nem todos aceitam a ajuda. Alguns não aceitaram o auxílio, pois estão à procura de emprego e outras preferem permanecer nas ruas”, explicou o secretário de Desenvolvimento e Inclusão Social, Luiz Maraschin.

O objetivo da operação é controlar o fluxo migratório e junção de pessoas em situação de rua ou vulnerabilidade social nas principais vias da cidade, ocasionados pelas festividades das cidades vizinhas a Balneário Camboriú. A ação será feita até o dia 22 de outubro, principalmente, nas Avenidas Atlântica e Brasil, diariamente. A atividade também contará com o apoio da Guarda Municipal (GM).

“Além da operação, vamos manter nosso trabalho de abordagens 24 horas por dia. Como temos diversas festas nos municípios vizinhos ao nosso, isso aumenta o número de ‘trecheiros’ na cidade. Por isso, decidimos fazer essa operação para não deixar ninguém dormindo nas vias da cidade”, comentou o diretor do Resgate Social, Eder Clemente.

A princípio essas pessoas serão acolhidas na Casa de Passagem Migrante, para encaminhamentos diversos, como passagem para retorno à cidade de origem para acolhimento familiar ou para uma Comunidade Terapêutica para tratamento. Qualquer denúncia poderá ser feita através do telefone 156, da central do Resgate de Social ou pelo celular (47) 98839-7075. O Resgate Social, além de prestar auxílio e assistência, busca dar novas oportunidades aos cidadãos que, independente do motivo, acabaram indo para as ruas.

No último balanço divulgado pelo Resgate Social, foram atendidos 235 pessoas e com a reincidência (pessoas acolhidas mais de uma vez) resultaram em 343 acolhimentos. O aumento dos acolhimentos se deu com a vinda dos chamados “trecheiros” (32%), que são aquelas pessoas que passam de cidade em cidade sem rumo definido.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -