- PUBLICIDADE -

Drone do Programa Combate ao Aedes aegypti já fiscalizou cerca de 960 imóveis

Com dois meses de uso, o drone já detectou 34 problemas

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Trader Jader Nogueira exibe ganhos milionários e contraria matéria do Fantástico

Publicação na rede social do influenciador viralizou e pessoas se identificaram
Drone do Programa Combate ao Aedes aegypti
Divulgação

Há dois meses, Balneário Camboriú utiliza um drone para fiscalizar locais de difícil acesso no combate ao Aedes aegypti. Já foram mais de 11 horas de voo, cerca de 960 imóveis inspecionados e 34 problemas detectados. Dentre eles, estão calhas e lajes com água acumulada e piscinas sem tratamento.

O trabalho é feito pelo Programa de Combate ao Aedes aegypti da Secretaria Municipal de Saúde e visa diminuir os focos do mosquito que pode transmitir doenças como Febre Amarela, Dengue, Chickungunya e Zika vírus. O drone é operado por Márcio Crisitano Passing com auxílio de Paulo César Vieira, ambos da equipe de combate a endemias. “Já percorremos todo o Bairro dos Estados e agora já estamos na metade do Bairro Ariribá. O drone consegue identificar problemas em locais onde os agentes de endemias não conseguem chegar e também nos imóveis que estão fechados, onde os agentes já passaram e não conseguiram acesso porque os proprietários não estavam no local”, contou Márcio.

Todo o percurso feito pelo drone é registrado no plano de voo, inclusive as fotos feitas durante a fiscalização. “Só fazemos fotos quando detectamos algum problema. A água parada em calhas e telhados, por exemplo, conseguimos identificar porque na imagem aparece algo reluzente. Então aproximamos o drone para comprovar que se trata de água parada, daí então fazemos a foto”, explicou Márcio. “Muitas vezes os moradores ficam curiosos para saber o que estamos fazendo, explicamos que é o drone da saúde e eles acham legal, vêm acompanhar o nosso trabalho”, completou Paulo.

Segundo o diretor da Vigilância Ambiental, Rafael Neis da Silva, quando irregularidades são encontradas, primeiro os agentes de combate a endemias retornam no imóvel para orientar os proprietários e estipulam prazo para resolver o problema. Depois eles voltam para reinspecionar. “Caso não esteja resolvido, mesmo após a orientação, é feito a notificação, multa e o envio para o Ministério Público. Se for comércio, além da multa, pode ser interditado até resolver” ressalta.

Em comparação com ano passado, houve diminuição de 564 focos positivos do mosquito, mostrando a eficiência do programa. “A Intenção é fazer a inspeção com drone no município todo, passando pela maioria ou totalidade dos imóveis”, finalizou Rafael.

Caso o morador queira registrar alguma denúncia de criadouros do mosquito Aedes aegypti, o contato é 0800 644 3388 ou pelo telefone 3267-7024. Para mais informações sobre o projeto e agendamento de visitas, o telefone é 3261-6264.


COMENTE ABAIXO ⬇

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

UniAvan promove plantão de matrículas neste sábado com desconto exclusivo

Novos alunos ganharão desconto de 20% na primeira mensalidade de cursos presenciais; Quem optar por graduação EAD começa a pagar só em julho de 2021
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.