- PUBLICIDADE -

Sábado é o “Dia D” de Combate ao Aedes aegypti em Balneário Camboriú

As orientações e panfletagens ocorrerão das 9h às 17h

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

UniAvan oferta atendimento psicológico a profissionais da ONG Viva Bicho

A ação é realizada pelos acadêmicos dos anos finais do curso de Psicologia e visa o bem-estar das pessoas que trabalham diariamente com os animais

DENGUE ARQUIVO PMBC 2 1
Divulgação

Neste sábado (18) é o “Dia D” de Combate ao Aedes aegypti. Balneário Camboriú fará uma grande mobilização para alertar a população sobre os riscos do mosquito e sobre a importância de eliminar os focos do Aedes nas residências, terrenos baldios e comércios. As orientações e panfletagens ocorrerão das 9h às 17h em quatro pontos: Barra Sul, Praça Almirante Tamandaré, Pontal Norte e Praça da Cultura.

“Nossa ideia é mobilizar toda a cidade no controle, prevenção e combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti, principalmente porque está chegando o verão que é a estação mais crítica. A população é fundamental nesta luta contra o mosquito, por isso precisa ficar atenta, fiscalizando em suas casas”, falou o coordenador do programa de Combate à Dengue, Rafael Neis da Silva.

Para atrair a população, em cada ponto haverá uma programação diferente. Na Praça da Cultura vai ter apresentação de teatro musical sobre a dengue, com o Instituto Elisabetha Randon, apresentação da Banda “Di Sonora”, jogos lúdicos e a presença do boneco do Mosquito Aedes aegypti. As apresentações de teatro serão às 11h, 12h, 14h, 15h e 16h.

Na Barra Sul vai ter cama elástica, na Praça Almirante Tamandaré demonstração de equipamentos usados no trabalho dos agentes no combate ao Aedes aegypti e no Pontal Norte haverá panfletagem.

Até o mês de novembro, Balneário Camboriú já registrou 1579 focos do mosquito. São 820 a mais que o registrado no mesmo período do ano passado. “Tivemos um inverno com temperaturas elevadas e chuvoso, o que contribuiu com a proliferação do mosquito nesta estação. Apesar disso, não registramos nenhum caso das doenças transmitidas pelo mosquito contraído na cidade”, explicou Rafael. Na cidade foram registrados dois casos de dengue e três de chikungunya, todos importados de outras cidades.

O Aedes aegypti é transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Veja algumas medidas simples para combater o mosquito:

Principais tipos de criadouro

Certificar que caixa d’água e outros reservatórios de água estejam devidamente tampados;
Retirar folhas ou outro tipo de sujeira que pode gerar acúmulo de água nas calhas;
Guardar pneus em locais cobertos;
Guardar garrafas com a boca virada para baixo;
Realizar limpeza periódica em ralos, canaletas e outros tipos escoamentos de água;
Limpar e retirar acúmulo de água de bandejas de ar-condicionado e de geladeiras;
Utilizar areia nos pratos de vasos de plantas ou realizar limpeza semanal;
Retirar água e fazer limpeza periódica em plantas e árvores que podem acumular água, como bambu e bromélias;
Guardar baldes com a boca virada para baixo;
Esticar lonas usadas para cobrir objetos, como pneus e entulhos;
Manter limpas as piscinas;
Guardar ou jogar no lixo os objetos que pode acumular água: tampas de garrafa, folhas secas, brinquedos;

Como eliminar os focos

Lavar as bordas dos recipientes que acumulam água com sabão e escova/bucha;
Jogar as larvas na terra ou no chão seco;
Para grandes depósitos de água e outros reservatórios de água para consumo humano é necessária a presença de agente de saúde para aplicação do larvicida;
Em recipientes com larvas onde não é possível eliminar ou dar a destinação adequada, colocar produtos de limpeza (sabão em pó, detergente, desinfetante e cloro de piscina) e inspecionar semanalmente o recipiente, desde que a água não seja destinada a consumo humano ou animal. Importante solicitar a presença de agente de saúde para realizar o tratamento com larvicida.

Saiba como efetuar a limpeza de objetos usados para armazenamento de água:

Tampar e lavar reservatórios de água são ações importantes para o combate ao Aedes aegypti. A limpeza deve ser periódica com água, bucha e sabão.
Ao acabar a água do reservatório, é necessário fazer uma nova lavagem nos recipientes e guardá-los de cabeça para baixo. Esse cuidado é essencial porque os ovos do mosquito podem viver mais de um ano no ambiente seco.

Recomendações de utilização da água sanitária:

Água sanitária também poder ser utilizada no combate às larvas. Mas é importante lembrar que ela não pode ser utilizada em recipientes usados para armazenamento de água para consumo humano e de animais.


COMENTE ABAIXO ⬇

Receba as notícias do Click Camboriú pelo Telegram

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Clínica de odontologia da UniAvan oferece atendimento para cirurgias dentárias

Os procedimentos gratuitos serão direcionados a cirurgias de extração de dentes, remoção de freio, raiz quebrada, tratamento de lesões na boca, dentre outros
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.