Prefeitura demoliu imóvel na prorrogação da Quarta Avenida

O prédio demolido era um dos hotéis da Rede Candeias, Esporte, Lazer e Recreação, o Residencial Antoani, na Rua 2850

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Divulgação

A Secretaria de Obras demoliu na manhã desta segunda-feira (07) o imóvel por onde passa o traçado da prorrogação da 4ª Avenida, para dar continuidade à obra do Binário Sul. O acordo de desapropriação foi assinado na última quinta-feira (03). O prédio demolido era um dos hotéis da Rede Candeias, Esporte, Lazer e Recreação, o Residencial Antoani, na Rua 2850.

Com esta desapropriação será possível retomar as obras da 4ª Avenida, entre as ruas 2650 e 3020. “Nos próximos dias iremos lançar o edital para a execução do prolongamento neste trecho, com possibilidade de avançar até a Rua 3100. A meta é concluir esta etapa até fim do ano”, disse o secretário de Planejamento e Obras, Edson Kratz,

O prolongamento da 4ª Avenida faz parte de um complexo viário denominado Binário Sul, que inicia na junção da 4ª Avenida com a Avenida do Estado, e engloba a abertura de novas vias e urbanização dos entornos. Esta obra prevê recursos das Operações Urbanas Consorciadas (OUC), que capta recursos dos potenciais construtivos adicionais à construção civil, de acordo com a Lei de Uso e Ocupação do Solo. Esta OUC prevê a arrecadação de R$ 100 milhões de reais.

A 4ª Avenida já está totalmente consolidada desde o início do encontro da Avenida do Estado até a Rua 2.650. O projeto de continuação da obra será dividido em quatro etapas. Entenda cada uma delas:

Primeira Etapa: Vai da Rua 2.650 à Rua 3.020, contempla três vias de circulação de veículos, estacionamento em ambas as laterais, sistema cicloviário, paradas de ônibus cobertas, calçadas no padrão existente com acessibilidade, ajardinamento e urbanização. Além do sistema viário serão implantadas nas áreas remanescentes das desapropriações, pequenas áreas verdes, espaço de convivência e parques infantis. Também será feita a adequação da 3ª Avenida entre o trecho da Rua 2.550 com a Rua 3.000, implantando as quatro vias de veículos, estacionamento em ambos os lados, sistema cicloviário, paradas de ônibus cobertas, calçadas no padrão existente com acessibilidade, ajardinamento e urbanizadas.

Neste ano, sete construções ainda necessitavam ser demolidas para continuidade desta etapa da obra, sendo que seis desses imóveis ainda não tinham decisão judicial da posse para demolição. O último, do Candeias, foi demolido nesta segunda-feira (07).

O projeto inicial previa uma via ampla nos moldes da existente atualmente até a Rua 3.000, quando então passava a utilizar as ruas 3.198 e 3.208, sem previsão de desapropriação para alargamento destas vias. O projeto foi analisado pelo corpo técnico da Secretaria de Planejamento que constatou que a melhor opção é a continuação do modelo novo até a Rua 3.700, contemplando vias de veículos, estacionamentos, ciclovias, calçadas acessíveis e equipamentos urbanos.

“Também estava sendo executada a pavimentação da Rua 3.198. Mas a empresa responsável pelo serviço alegava necessidade de aditivo da obra. O Município solicitou a paralisação do trabalho, não autorizou e contratou sondagem ao longo da via, constatando que não havia necessidade de aditivo. A medida resultou numa economia de mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos” contou Kratz.

Segunda Etapa: Consiste na criação da Avenida Panorâmica, que liga a Avenida Martin Luther com a Avenida das Flores contemplando três vias de circulação de veículos, sistema cicloviário, calçadas no padrão existente com acessibilidade, ajardinamento e urbanização. Também contempla passagem de nível entre o final da Avenida Martin Luther com o início da 4ª Avenida, passando abaixo da Avenida dos Estados. No centro desta conexão será implantada a Praça do Cidadão, onde no futuro, comportará o Paço Municipal. O início das desapropriações desta etapa está previsto para este ano e as obras para o ano que vem.

Terceira Etapa: Inicia na Rua 3.020 e termina na Rua 3.300, passado pela Rua 3.198 e Rua 3.208, contemplando três vias de circulação de veículos, estacionamento em ambas as laterais, sistema cicloviário, paradas de ônibus cobertas, calçadas no padrão existente com acessibilidade, ajardinamento e urbanização. Além do sistema viário será implantado nas áreas remanescentes das desapropriações, pequenas áreas verdes, espaço de convivência e parques infantis. Contempla também obras de entorno ao eixo principal, como reurbanização da Rua 3.198 criando via local com calçadas amplas.

O projeto também prevê a reurbanização da Rua 3.100, tornando mão única com três vias de circulação de veículos, estacionamento em ambos os lados, ciclovia e calçadas acessíveis, arborização, paradas de ônibus e com equipamentos urbanos. Adequação da 3ª Avenida entre o trecho da Rua 3.000 com a Rua 3.300, implantando as quatro vias de veículos, estacionamento em ambos os lados, sistema cicloviário, paradas de ônibus cobertas, calçadas no padrão existente com acessibilidade, ajardinamento e urbanizadas. Os processos de alteração do projeto e desapropriações iniciam no segundo semestre de 2017 com previsão para iniciar as obras no segundo semestre de 2018.

Quarta Etapa: Inicia na Rua 3.300 e termina na Rua 3.700, passado pela Rua 3.208 e Rua 3.780, contemplando duas vias de circulação de veículos, estacionamento na lateral, sistema cicloviário, paradas de ônibus cobertas, calçadas no padrão existente com acessibilidade, ajardinamento e urbanizadas. Além do sistema viário será implantado nas áreas remanescentes das desapropriações, pequenas áreas destinadas a praças verdes, áreas de convivência e parques infantis.

Contempla também obras de entorno ao eixo principal, como reurbanização da Rua 3.300, com criação de Ponto de Atendimento ao Turista no acesso da BR-101 com o município. Terminal de ônibus urbano na junção da Rua 3.780 com a Rua 3.700, reurbanização entre a Rua 3.780 e a Rua 3.790, reurbanização da Rua 3.700, desde a Avenida Brasil até o encontro da Rua Dom Afonso com a 5ª Avenida e criação de uma praça juntando a lateral leste, área abaixo do viaduto da BR-101 e lateral oeste. Os processos de alteração do projeto e desapropriações iniciam no segundo semestre de 2017 com previsão para iniciar as obras no segundo semestre de 2018.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -