- PUBLICIDADE -

Empresas de Itajaí e região aderem ao novo salário mínimo regional

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

fiesc

O salário mínimo regional em Santa Catarina terá um reajuste de 8,84%. Depois de quatro reuniões, sindicatos ligados aos trabalhadores chegaram a um acordo com os patrões, que estavam representados por sindicatos e pela Federação das Indústrias de Santa Cararina (Fiesc).

As negociações começaram em dezembro de 2014, quando os trabalhadores pediram um reajuste de 15% e os empregadores ofereceram 6%. Agora, com o valor já definido, a proposta foi levada ao governador do Estado, Raimundo Colombo, que deve criar nos próximos dias um projeto de lei, que será avaliado por deputados catarinenses.

O salário mínimo regional, após ser aprovado na assembleia legislativa, será usado para definir o valor mínimo a ser pago para o trabalhador em Santa Catarina. Nenhuma empresa ou indústria poderá pagar menos do que foi estabelecido na lei estadual.

O novo mínimo ficou em R$ 908, 00 para uma faixa de trabalhadores como : empregados domésticos, trabalhadores da pesca e de indústrias da construção civil.  Já nos setores de vestuário, confecção de calçados e telemarketing o salário base ficou negociado em R$943, 00. Quem trabalha no comércio em geral e nas indústrias de alimentação terá o salário mínimo regional de R$994,00. O valor mais alto ficou para funcionários de áreas como serviços de saúde, motoristas de transporte e nas metalúrgicas com um mínimo de RS 1.042,00.

O vice-presidente da Intersindical Patronal de Itajaí, Maurício Cesar Pereira, participou das negociações: “Santa Catarina serve como exemplo para o Brasil, é um dos poucos estados onde quem define o mínimo são os patrões e os empregados, juntos, em um acordo. Estamos satisfeitos porque entendemos que os dois lados saíram ganhando. Esse salário mínimo regional serve para os trabalhadores que não têm representação sindical e que, por este motivo, não decidem o piso salarial através de convenções. Mesmo assim, o salário base é bem mais alto que o  mínimo nacional (R$ 788,00). Deixamos claro, que as empresas da nossa região já pagam mais do que esses valores. Setores que estão em alta como a indústria metalúrgica paga mais para os trabalhadores, porque há vagas sendo abertas com frequência e falta profissionais qualificados”.

Veja a comparação do salário mínimo regional de Santa Catarina entre 2014 e 2015:

Primeira faixa de trabalhadores

Mínimo regional

2014

Mínimo regional

2015

a) na agricultura e na pecuária;
b) nas indústrias extrativas e beneficiamento;
c) em empresas de pesca e aquicultura;
d) empregados domésticos;
e) em turismo e hospitalidade; (Redação da alínea revogada pela LPC 551/11).
f) nas indústrias da construção civil;
g) nas indústrias de instrumentos musicais e brinquedos;
h) em estabelecimentos hípicos; e
i) empregados motociclistas, motoboys, e do transporte em geral, excetuando-se os motoristas.

R$ 835,00

R$ 908,00

Segunda faixa de trabalhadores

Mínimo regional

2014

Mínimo regional

2015

a) nas indústrias do vestuário e calçado;
b) nas indústrias de fiação e tecelagem;
c) nas indústrias de artefatos de couro;
d) nas indústrias do papel, papelão e cortiça;
e) em empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas;
f) empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas;
g) empregados em empresas de comunicações e telemarketing; e
h) nas indústrias do mobiliário.

R$ 867,00

R$ 943,00

Terceira faixa de trabalhadores

Mínimo regional

2014

Mínimo regional

2015

a) nas indústrias químicas e farmacêuticas;
b) nas indústrias cinematográficas;
c) nas indústrias da alimentação;
d) empregados no comércio em geral; e
e) empregados de agentes autônomos do comércio.

R$ 912,00

R$ 994,00

Quarta  faixa de trabalhadores

 

Mínimo regional

2014

 

Mínimo regional

2015

 

a) nas indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico;
b) nas indústrias gráficas;
c) nas indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana;
d) nas indústrias de artefatos de borracha;
e) em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito;
f) em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade;
g) nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas;
h) auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino);
i) empregados em estabelecimento de cultura;
j) empregados em processamento de dados; e
k) empregados motoristas do transporte em geral.
I) empregados em estabelecimentos de serviços de saúde.

R$ 957,00

 

R$ 1.042,00

 

Fonte: FIESC


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Galeria M.I.U. inaugura lado B com a exposição engenhariaREVERSA neste sábado, 12

A Galeria M.I.U. e o artista ONESTOdiesel convidam a todos para o pocketshow e uma tarde de texturas, contrastes, cores, vinhos e um bom papo
- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.