- PUBLICIDADE -

Força-tarefa para organizar a fiação na Rua 1500 terminou

A próxima via a receber a força-tarefa será a Terceira Avenida

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Maislaser vai presentear 100 pessoas com 10 sessões de depilação a laser em agosto

10 sessões de depilação a laser em uma área pequena! Não vai perder esse presentão, né?

A força-tarefa para organizar a fiação nos postes da Rua 1500 terminou nesta semana. Cerca de cinco mil metros de cabos, entre fibra ótica, telefonia, TV a cabo e outros que estavam sem identificação, foram removidos e recolhidos.

O trabalho na Rua 1500, que começou em 20 de maio e foi até quarta-feira, 29.maio.2019, com interrupções por causa dos dias chuvosos, ocorreu no trecho da Avenida Atlântica até a Avenida Marginal Leste. Liderada pela Contribuição para Custeio de Serviço de Iluminação Pública (COSIP), a força-tarefa reúne empresas de telecomunicação, que têm de corrigir fios dos postes de iluminação pública fora de local e eliminar cabos sem uso. A ação foi executada pela primeira vez na fiação do Calçadão, no fim de 2017. Em 2018, a força-tarefa ocorreu nas avenidas Atlântica, Brasil, Alvin Bauer e Central.

Além de causarem poluição visual, os cabos e fios instalados de forma desordenada dificultam o trabalho de manutenção da COSIP. Fios emaranhados e soltos representam também risco à segurança da população.

“Ao final dessa operação, tivemos como resultado uma limpeza significativa, tanto na quantidade de cabos que foram removidos por não estarem sendo utilizados, quanto na questão estética das fachadas e da rua em geral”, diz o gestor da COSIP, Anderson dos Santos. A próxima via a receber a força-tarefa será a Terceira Avenida.


COMENTE ABAIXO ⬇

Telegram: participe do canal do Click Camboriú

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de Balneário Camboriú e região em seu e-mail.

⚠ Confirme na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Como a cannabis medicinal tem ajudado famosos e não famosos

A Huniq, empresa de cannabis medicinal instalada em Itajaí, é responsável pelo tratamento das quatro histórias apresentadas nessa reportagem
- PUBLICIDADE -