Divulgação

No último sábado, 09.fev.2019, a Secretaria de Planejamento de Balneário Camboriú com apoio da Polícia Militar apreendeu 951 peças de uniformes vendidas irregularmente. A apreensão dos produtos ocorreu após denúncia feita pela CDL de Balneário Camboriú, de que os produtos estariam sendo comercializados ilegalmente.

Segundo a CDL, a denúncia partiu de um empresário associado. O que foi apurado pela reportagem é que a presidente da CDL, Eliane Colla, seria uma das maiores interessadas na apreensão dos uniformes, que também são comercializados em sua papelaria.

No local, os fiscais encontraram camisetas, moletons, bermudas e calças de dois colégios particulares, que eram comercializados para pais de alunos. A responsável pela confecção dos uniformes não tem empresa constituída em Balneário Camboriú e vendia as peças sem emissão de nota fiscal.

Conforme informações repassadas na manhã desta segunda-feira (11) pelo setor jurídico das duas escolas à Secretaria de Planejamento, a mulher responsável pela confecção não tinha nenhum vínculo com os colégios. Outras empresas, legalmente constituídas no Município, incluindo a papelaria da presidente da CDL, são as fornecedoras oficiais dos produtos, o que caracteriza falsificação.

Todo o material foi apreendido e a responsável pela confecção foi multada em cinco UFM’s (R$ 1.300,00). As duas escolas afirmaram que tomarão as medidas cabíveis com relação ao caso.

A presidente da CDL, Eliane Colla, destacou que pirataria é crime e deve ser permanentemente combatida pela sociedade. “É muito importante que o consumidor também tenha consciência disso. Queremos tanto uma mudança no comportamento político e cultural do nosso país, mas temos que começar revendo hábitos como cidadão”, observa a empresária.


COMENTE ABAIXO ⬇

resposta(s) publicada(s). (Obs.Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site)