Reunião define metas para coibir o uso do cerol em linhas de pipa, em Itajaí

Fiscalização do uso de cerol foi pauta de reunião na Câmara de Itajaí

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Cerol utilizado em linhas de pipa é extremamente cortante (Foto: Pedro G. da Rosa/Click Camboriú)

Nesta terça-feira (18) o uso do cerol em linhas de pipas foi debatido na Câmara de Vereadores de Itajaí. A reunião contou com a presença de vereadores, representantes das forças de segurança, conselheiros tutelares, funcionário da Celesc e representantes do Poder Executivo.

Durante cerca de duas horas, as autoridades presentes sugeriram ações que possam melhorar a prevenção de acidentes e combater de forma mais eficiente o uso do material, que já é proibido em legislação estadual e municipal.

Ficou definido que o Legislativo irá propor emendas à lei 3895/2003 que trata sobre a proibição da comercialização e de uso do cerol ou qualquer material cortante em linhas usadas para empinar pipas. A proposta pretende especificar alguns itens e detalhar quem irá atuar na fiscalização. O Executivo deverá regulamentar a lei após as alterações serem aprovadas.

A prática de soltar pipas também tem gerado prejuízos a economia e ao cidadão. De acordo com Luiz Carlos Xavier, engenheiro da Celesc Itajaí, no mês de julho 25% das ocorrências envolvendo queda de luz na cidade foram ocasionadas pelas linhas na rede elétrica. A cada quatro quedas de energia, uma envolve o uso de papagaios.

Outro dado preocupante foi levantado pelo médico e Secretário de Saúde de Itajaí, Celso Luiz Dellagiustina, que informou que 7% dos acidentes de trânsito no Brasil possuem relação direta com a brincadeira de soltar pipa. Ele alerta que o corte no pescoço pode ser fatal.

Os bairros onde ocorrem a maior incidência de reclamações são Cidade Nova, Murta, Cordeiros e São Vicente. Segundo Alan Roger Schnaider, representante da secretaria de educação, nos próximos meses serão intensificados os trabalhos educativos na rede de ensino municipal.

O debate é promovido pela Comissão de Segurança Pública e Defesa Civil da Casa, devido ao alto número de reclamações de perturbação do sossego, problemas com violência física, quedas de lajes e acidentes de trânsito envolvendo motociclistas.

A Comissão é composta pelos vereadores Rubens Angioletti (PSB), presidente, Thiago Morastoni (PMDB), vice-presidente e Fabricio Marinho (PPS), relator. “A pipa é uma prática sadia, o cerol é uma arma que mata pessoas. Quem usa o cerol em uma brincadeira pode tirar vidas”, diz Angioletti.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -