Banheiros públicos para ostomizados: vereador de Itajaí pede adaptação

Vereador apresenta Projeto de Lei para garantir banheiros públicos adaptados aos ostomizados

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

Símbolo dos ostomizados.
Símbolo dos ostomizados.

Auxiliar a pessoa ostomizada a ter uma vida mais digna. Este é o objetivo do vereador Thiago Morastoni (PT) ao apresentar o Projeto de Lei Ordinária Nº 68/2015, que visa garantir banheiros públicos adaptados aos ostomizados em Itajaí. O documento foi protocolado pelo parlamentar na Câmara de Vereadores, após solicitação feita por representantes da Associação Catarinense da Pessoa Ostomizada (ACO).

A ostomia é um procedimento cirúrgico em que o paciente tem a parede abdominal do corpo aberta para fixar uma bolsa coletora para fezes e urina, pois o organismo não possui mais capacidade de controle voluntário. Hoje, há cerca de três mil pessoas ostomizadas em Santa Catarina, que passam por dificuldades de tratamento e acessibilidade.

O Projeto de Lei, caso aprovado, garantirá às pessoas ostomizadas sanitários públicos adaptados em rodoviárias, cinemas, teatros, igrejas, postos de saúde, hospitais, shopping centers, centros comerciais, supermercados, bancos, locais destinados à realização de festas, eventos e shows, estádios de futebol e espaços poliesportivos, e órgãos públicos das esferas municipal, estadual e federal localizados em Itajaí.

Os sanitários especiais para ostomizados deverão ter alguns acessórios e ajustes arquitetônicos diferenciados, como ducha higiênica colocada ao lado do vaso sanitário para lavagem ou troca da bolsa coletora, espelho para inspeção das condições gerais do estoma e suporte para papel toalha, além do Símbolo Nacional da Pessoa com Deficiência, incluindo o Símbolo Nacional da Pessoa Ostomizada.

Thiago Morastoni destaca os benefícios que esta simples ação poderá trazer à pessoa ostomizada. “Nada mais justo do que promover e proteger as condições de acessibilidade das pessoas com deficiência, neste caso os ostomizados, visando a inclusão social e a cidadania plena e efetiva. Cabe ressaltar que a adaptação desses banheiros públicos não exige nenhuma tecnologia especial e sua instalação é de baixo custo”, ressalta.

O parlamentar já se reuniu várias vezes com Candinha Marchi, presidente da ACO, que também expôs as dificuldades de atendimento médico adequado. Segundo Candinha, a maioria dos ostomizados está em condições de fazer a cirurgia de reversão, mas atualmente precisa esperar anos para o procedimento. A demora, além de onerar o Estado, compromete a saúde dos pacientes. “Trata-se de outra questão importante que tentaremos auxiliá-los. É preciso conscientizar a sociedade sobre a ostomia, desenvolvendo junto aos ostomizados e suas famílias condições que favoreçam a solução de problemas físicos, emocionais e sociais”, finaliza o vereador.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -