- PUBLICIDADE -

Paratletas de Balneário Camboriú são convocados para Seleção Brasileira de bocha adaptada

Gabriel Prezzi e Gabriel Zoschke foram convocados para a primeira fase de treinos da Seleção

Publicado em

- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

Dia das Mães: Maislaser vai presentear 100 pessoas com 10 sessões de depilação a laser

Ganham as 100 primeiras pessoas que ligarem para (47) 3011-0611 ou 3011-0211, ou entrarem em contato pelo WhatsApp 047 99273-2191

Gabriel Prezi Divulgação
Divulgação

Os paratletas de Balneário Camboriú, Gabriel Rigol Prezzi, Gabriel Rodrigues de Andrade e Annely Cecy Nunes Zoschke foram convocados para a primeira fase de treinos da Seleção Brasileira de Bocha Paralímpica, que acontece na cidade de Águas de Lindóia, interior de São Paulo.

A concentração dos atletas acontece entre os dias 16 e 22 de fevereiro, com o intuito de fazer toda a preparação para o Parapan-Americano da Juventude que acontece na capital paulistana, entre os dias 20 e 25 de março. Ao todo foram convocados 16 atletas para essa fase. Desses, somente 12 seguirão para o torneio.

Os atletas de nossa cidade, representam duas categorias. O Gabriel Rigol Prezzi e o Gabriel Rodrigues de Andrade, estão na BC2, enquanto a atleta Annely representa a BC1. Eles treinam durante a semana na sede da Associação de Apoio às Famílias de Deficientes Físicos (AFADEFI), entidade parceira da Fundação Municipal de Esportes de Balneário Camboriú (FME).

Os dois atletas homens colecionam mais de seis títulos brasileiros na categoria estudantil. Enquanto a menina vem em crescente melhoria em seus resultados. O esporte de equipe é disputado de forma mista, englobando homens e mulheres na mesma disputa.

Entenda as categorias

As categorias Classe BC 1 são destinadas apenas para atletas com paralisia cerebral, que podem jogar com as mãos ou com os pés. Podem ter um auxiliar para entregar a bola. Nas classes BC2 e BC4 não é permitido nenhum tipo de ajuda externa. O que ocorre com frequência é a adaptação de um suporte ou cesto para as bolas, fixos ou não, na cadeira de rodas, de modo que facilite ao atleta no momento de pegar as bolas para arremessar.

Na BC3 atleta de bocha que apresenta maior grau de comprometimento motor, como paralisia cerebral e de condições similares, com origem não cerebral. O jogador é assistido por uma pessoa que tem como função direcionar a calha (dispositivo auxiliar), pela qual a bola será lançada, seguindo rigorosamente as indicações do jogador (de acordo com a direção que o atleta indicar).


COMENTE ABAIXO ⬇

Receba as notícias do Click Camboriú pelo Telegram

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- PUBLICIDADE -

VEJA TAMBÉM

- PUBLICIDADE -
Enviar mensagem
Envie seu conteúdo
Envie seus flagras e suas denúncias para a redação do Click Camboriú.