Confirmada para novembro a realização do 13º Festival de Música de Itajaí

Publicado em

- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

A 13ª edição do Festival de Música de Itajaí será realizada neste ano entre os dias 9 a 13 de novembro. A informação foi repassada nesta quarta-feira (13) pelo Superintendente da Fundação Cultural de Itajaí (FCI), Age Pinheiro, logo após a confirmação do repasse de R$ 200 mil do primeiro e maior patrocinador do festival, o Banco Bradesco. A FCI ainda aguarda a participação financeira de outros patrocinadores.

Apesar da Fundação Cultural inscrever em 2009 o projeto do Festival de Música junto aos governos do Estado e Federal, desacertos na liberação de recursos geraram incertezas na realização do evento. Da parte do Estado, foi autorizado em 1º de julho um repasse de R$ 150 mil, recursos que, entretanto, não foram depositados ao Município e correm o risco de não serem liberados em tempo hábil. Já da parte do Governo Federal, foi autorizada em 5 de julho a liberação de R$ 687 mil, valor a ser captado junto a empresas que tributam em valor real (ou seja, pagam tributos à União).

“Logo que o Governo Federal liberou os recursos, imediatamente a Fundação procurou várias empresas da cidade para que fossem parceiras. Acontece que estas empresas fazem seus balanços trimestralmente e também tinham dificuldade em responder rapidamente a solicitação do Município. Felizmente, mais uma vez o Bradesco foi o nosso grande parceiro e liberou hoje os recursos para a realização do Festival”, explicou Age.

Com os recursos depositados pelo Bradesco, a FCI confirmou a realização do Festival entre os dias 9 a 13 de novembro, com a realização paralela da Mostra Nacional e Internacional. Neste ano o Festival trará para o palco do Teatro Municipal o compositor Roberto Menescal, o grupo gaúcho Expresso 25, os músicos franceses do Paris Jazz Underground e os mineiros Quebra Pedra e Rafael Macedo. A dúvida é o show do último dia do Festival, já que a produtora de Ana Cañas ainda não confirmou disponibilidade da sua agenda. Caso a cantora não esteja disponível na data, o último dia fechará com o bom choro paulista do grupo Pau Brasil.

A maior novidade deste ano no festival é a realização de 20 oficinas. “Esse ótimo volume de oficinas é fundamental para a realização do festival, já que ele determina essa participação direta dos músicos”, avalia Age. Na agenda do Festival ainda estão programados eventos paralelos como Jam Session e Choro, Hora da Sineta e o encerramento na Arena Vida. “Ou seja, este atraso na agenda não vai tirar o brilho do evento, que será um dos melhores já realizados na história dos festivais”, comenta Age. Ainda segundo ele, caso o Governo do Estado libere os R$ 150 mil autorizados ou outras empresas aceitem as propostas de patrocínio, a FCI vai contratar novos shows.

✉ NEWSLETTER

Receba notícias de BC, Camboriú e Itajaí todos os dias em seu e-mail.

Confirme seu cadastro na próxima tela e ative o cadastro em seu e-mail.
- Publicidade -

VEJA TAMBÉM

- Publicidade -